O corpo fala! Dez doenças perigosas e silenciosas para ficar sempre atenta

Muita gente fica preocupada ao menor sinal de tosse, espirro ou dores pelo corpo. Isso seria, afinal, gripe, resfriado ou dengue? Esses alertas indicam que algo não está bem no organismo e precisa ser tratado para não piorar. Mas nem sempre os sintomas são visíveis. Os problemas mais preocupantes são aqueles causados pelas chamadas doenças silenciosas, que podem ficar escondidas por anos e surgir de repente, podendo até levar à morte. Dá só uma espiada em quais são as 10 principais, segundo os médicos.

Depressão
A depressão começa como um cansaço extremo e total falta de ânimo, desencadeando uma tristeza profunda, sedentarismo e abuso de álcool e alimentos. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), de cada 100 casos, 15 deles terminam com pacientes colocando fim a própria vida. Isso ocorre por que somente 30% deles conseguem um diagnóstico precoce e são tratados de forma adequada.

Hepatite C
Já a hepatite C é considerada a doença silenciosa mais sorrateira. Ela pode ficar incubada por mais de 20 anos, sem ser percebida. Seus sintomas são de difícil diagnóstico e, por isso, deve-se tomar bastante cuidado, pois ela vagarosamente compromete o fígado e pode levar ao comprometimento da função hepática, à cirrose (mesmo que seu portador sequer consuma bebidas alcoólicas) e ao desenvolvimento de câncer.

635958432169798639-1581737784_depression111115DEPRESSÃO: DE CADA 100 CASOS, 15 TERMINAM EM SUICÍDIO

HIV/Aids
Ainda mais devastadora do que a hepatite C, e também transmitida pelo sangue contaminado, a AIDS pode demorar anos para se manifestar. Carregada de preconceito por suas formas de contágio através de relações sexuais sem proteção e pelo uso de drogas injetáveis, muitos casos dessa doença silenciosa também ocorrem através de transfusões sanguíneas.

Diabetes Tipo 2
Boca seca, muita sede e idas frequentes ao banheiro. Quem imaginaria que isso seja provocado por uma deficiência do pâncreas em produzir a quantidade necessária de insulina para o organismo metabolizar glicose? Esses são os sintomas iniciais da Diabetes Tipo 2, um distúrbio orgânico, que geralmente só é descoberto após anos, quando surgem problemas mais graves.

Hipertensão
Esta é outra doença silenciosa que pode ser fatal. Afinal, dores de cabeça, tonturas e fraquezas podem ser provocados por diversos fatores. Mas quando é causada pela pressão arterial elevada, esses alertas podem ser o início de doenças cardíacas mais sérias, como o infarto, ou AVCs.

+SAÚDE: Momento dona de casa: o que você precisa saber já sobre a esponja de lavar a louça

Hipercolesterolemia
Pessoas sedentárias, acima do peso e com uma vida desregrada são mais propensas a desenvolver colesterol alto. Esse problema surge devagar, devido ao depósito de pequenas partículas de gordura nas paredes de veias e artérias, que acabam entupidas, comprometendo o bom funcionamento do organismo, sobretudo, do coração.

Ovário Policístico
Esta doença silenciosa acomete muitas mulheres e é um dos principais causadores da infertilidade feminina. Ela é provocada pelo desequilíbrio hormonal, que causa falta de ovulação, favorecendo o surgimento de pequenos cistos na superfície dos ovários. Irregularidade menstrual, ganho de peso e pelos no rosto são os principais sintomas desse distúrbio, que pode ser tratado com medicamentos.

endometriose-capaENDOMETRIOSE: CÓLICAS E DORES PÉLVICAS SÃO ALGUNS SINTOMAS

Endometriose
Mais complexa, a endometriose ocorre quando as células do revestimento do útero, o endométrio, saem da cavidade uterina e se alojam em outros locais, como nas trompas, intestino, ovários e bexiga. Esse distúrbio provoca cólicas menstruais, dores pélvicas e problemas para engravidar, mas nem toda mulher sente os sinais de alerta, tornando o diagnóstico ainda mais difícil.

Osteoporose
O enfraquecimento dos ossos, sobretudo nas mulheres, começa, geralmente, a partir dos 30 anos. Como a osteoporose é uma doença silenciosa, aos poucos, ela causa a perda da densidade óssea e só acaba descoberta quando ocorrem quedas e fraturas provocadas por ela.

Hipo e Hipertireoidismo
Duas doenças silenciosas que representam problemas na tireoide, como hipo e hipertireoidismo, atingem 15% da população brasileira. Mais comum, principalmente em mulheres, os problemas provocados pela baixa produção de hormônios na tireoide – hipotireoidismo – causam a desaceleração do metabolismo, aumento de peso, dores musculares, distúrbios digestivos, alterações cardíacas e de humor, sendo, geralmente, associados a outros tipos de doenças.

Por outro lado, a produção excessiva de hormônios – hipertireoidismo – causa sintomas opostos, como nervosismo, sudorese, aceleração dos batimentos cardíacos e perda acentuada de peso.

Compartilhar
Mari Kalil

Mari Kalil

Jornalista e escritora, Mariana Kalil é diretora de conteúdo do site MK e colunista do programa Band Mulher e da rádio Band News FM. É também autora dos livros "Peregrina de Araque (2011), "Vida Peregrina (2013) e "Tudo tem uma Primeira Vez" (2015), todos publicados pela editora Dublinense. Trabalhou das redações das revistas Época e IstoÉ Gente, dos jornais Zero Hora, O Estado de S.Paulo e Jornal do Brasil e foi correspondente da BBC na Espanha, onde cursou pós-graduação em roteiro, edição e direção de cinema na Escuela Superior de Imagen y Diseño de Barcelona.

Sem comentários ainda.

Comentar

Seu endereço de email não será publicado

Utilize as tags HTML : <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Facebook

Instagram
  • Né?!👌🏻#simplesassim #bekind
  • “Nunca mais me convida pra pegar praia em José Ignacio.” #gorda #reportergorducha
  • Dia de praia no @lachozademarparador. Viaja até José Ignacio, caminha na areia quente, procura guarda-sol, carrega geleira, sacola, mochila, faz reportagem para o Band Mulher e sorri pra foto! 🤣🐶
  • Bento envelheceu. Não foi do dia para a noite. Trata-se de um envelhecimento gradativo. Uma enfermidade aqui, uma coisinha crônica acolá – e há uns bons cinco anos vamos levando esses percalços da velhice com acompanhamento veterinário, exames de rotina, troca de medicações, mas sobretudo, com amor, cuidado, amizade, lealdade e fé. Neste último ano, mais precisamente nos últimos meses, Bento deixou de ser um cachorrinho vivaz, de olhos espertos e comportamento ágil para se transformar em um senhor de seus lá 95 anos (equivalente à idade humana) que requer uma série de cuidados e a minha presença e atenção 24 horas por dia. O diagnóstico complicou, como costumam complicar os diagnósticos à medida que a idade avança, e através do olhar do Bento eu enxergo diariamente o reflexo da finitude da vida. Não pode existir sofrimento maior para um dono de cachorro do que essa despedida diária. A cada dia, menos um dia. A cada dia, também uma surpresa. Um dia feliz, caminhando melhor, disposto, com apetite e sorrisos. No dia seguinte, sono, muito sono, xixi nas calças, olhar distante, cabecinha para o lado e alheio ao mundo ao redor. Um dia vivaz; noutro, senil. Deveria ser proibido pela natureza vivermos tal experiência. Bento significa para mim muito mais do que um dos meus grandes melhores amigos.
É meu companheiro de jornada por uma vida de altos e baixos, cheia de mudanças e reinvenções – e da qual foi testemunha ocular e grande conselheiro. Nos conhecemos quando ele tinha 30 dias de vida e desde então cruzamos oceanos até. O que eu quero que ele saiba – e o que eu sei que ele sabe – é que estarei sempre aqui. E hoje estamos aqui. E assim seguiremos juntos. Com sorrisos e mãos dadas. Até o fim. Porque a única certeza que temos é a de que o fim chega para todos nós. E com ele um novo renascer.🐶♥️🙏🏻 #bento #xerife #18anos #companheirodejornada
  • Muito havia ouvido falar de que filhos de nossas irmãs são nossos filhos também. Mas a teoria sempre só faz sentido quando a realidade se confirma. Quando João Benício nasceu, me tornei tia – e ser tia é o maior presente que um irmão e uma irmã podem nos dar. Ser tia é descobrir a maternidade de outra forma, é descobrir um amor que não sabíamos que existia. Quando me tornei tia, passei a enxergar as crianças sob outra ótica, com mais ternura e paciência. Passei a entender também a falta de paciência das mães em muitos momentos. Quando me tornei tia, passei a sentir mais saudade, passei a beijar e a abraçar mais. Passei a me preocupar mais com a humanidade, com o futuro, com o legado das pessoas e das coisas. Quando João nasceu, me tornei um ser humano melhor. Ser tia é amar profundamente uma pessoa que parece ter saído de dentro de nós. É encontrar tempo onde antes só havia falta de tempo. É segurar no colo, é não sentir dor no braço, é aguentar sem reclamar a dor nas costas. É deixar a garrafa de vinho e o Netflix de lado numa sexta-feira à noite para deitar ao lado de quem insiste em se manter acordado. Tias também são mães, são capazes de amar como mães. Tias são a segurança das mães de que, em qualquer ausência delas, amor é o que jamais faltará. Porto Alegre, agosto de 2015. #joãobenicio #amordatia #amordadinda
  • Gula é o desejo insaciável, além do necessário, em geral por comida, bebida. Pecado capital, viu Gorda?