Os Chicos e os óculos de grau

Tenho um tio, o Jonatas, que todo mundo conhece por Chico, que é uma piada. Sabe aquelas pessoas que abrem a boca e a gente já começa a rir? Este é o Chico.

Ele adora falar bobagem, portanto, às vezes, não damos muito crédito ao que diz. Teve um dia, no meio de um almoço, numa dessas datas em que toda a família está reunida, que o Chico tascou:

– Vocês vão ver: é batata. Quando a gente faz 40 anos, acorda e não consegue mais ler o jornal. Acontece no dia do aniversário mesmo. Basta fazer 40 anos pra ficar cego e não enxergar mais nada. Comigo foi assim, com o fulano, foi assim, com o sicrano também…

– Comigo também! – disse a Cris, minha tia.

– Tá vendo? – respondeu o Chico. – É dado científico não é tese minha – exagerou.

Lembrei disso porque tenho em casa um marido, que também é Chico, que briga com o jornal. Ele não consegue ler sem óculos e se recusa a usar óculos. Já passou dos 40 e jura que com ele foi a mesma coisa: acordou no dia do aniversário de quarentão e não enxergava mais nada.

No fim de semana passado, estávamos numa roda de amigos e constatei a resistência de muitos homens quanto ao óculos de grau. Tem uma geração aí de uns 40 e poucos anos que prefere não enxergar a colocar óculos.

Comprei um desses óculos prontos de grau que são vendidos em tabacarias, farmácias e bancas de jornal e dei para o Chico, o marido. Me senti quase uma traficante comprando os tais óculos, pois eles nunca ficam em exposição. Daí a gente pede e o funcionário vai buscar lá no fundo de uma gaveta e te vende como se estivesse fazendo uma contravenção.

Conversa daqui, conversa dali, convenci o Chico – o marido –  a ir a um oftalmo. Ele chegou a ir a dois. E dois dos melhores de Porto Alegre. E sabe qual foi a maior novidade? Ambos aconselharam a comprar o tal óculos pronto! Custa cerca de R$ 40, algo muuuuuito inferior a uma armação bacana que não baixa de R$ 500 – fora o preço para fazer a lente. E têm armações muuuito bonitinhas.

Pelo menos agora tenho um marido que enxerga.

Humm… será que isso é bom? Haaaahahahaha!!


Compartilhar
Mari Kalil

Mari Kalil

Sou escritora, jornalista, colunista da Band TV e Band News FM e autora dos livros "Peregrina de araque", "Vida peregrina" e "Tudo tem uma primeira vez". Sou gaúcha, nasci em Porto Alegre, vivo em Porto Alegre, mas com os olhos voltados para o mundo. Já morei em São Paulo, no Rio de Janeiro e em Barcelona. Já fui repórter, editora, colunista. Trabalhei nos jornais Zero Hora, O Estado de S.Paulo e Jornal do Brasil; nas revistas Época e IstoÉ e fui correspondente da BBC na Espanha, onde cursei pós-graduação em roteiro, edição e direção de cinema na Escuela Superior de Imagen y Diseño de Barcelona. O blog Mari Kalil Por Aí é direcionado a todas as mulheres que, como eu, querem descomplicar a vida e ficar por dentro de tudo aquilo que possa trazer bem-estar, felicidade e paz interior. É para se divertir, para entender de moda, de beleza, para conhecer lugares, deliciar-se com boa gastronomia, mas, acima de tudo, para valorizar as pequenas grandes coisas que estão disponíveis ao redor: as coisas simples e boas.

Sem comentários ainda.

Comentar

Seu endereço de email não será publicado

Utilize as tags HTML : <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Facebook

InstagramInstagram did not return a 200.