Delícia! Comi um legítimo Voa Boi!

Passeava com o Bento quando entrou um Whats App da Didica.
– Quer dizer que tu não gostou da carne do Voa Boi? – ela perguntou.
– Acho que dei azar – respondi. – Tu já experimentou? – eu quis saber.
– Sim, compramos uma caixa. Estava maravilhosa! – ela elogiou.
– Ainda tenho dois pedaços e vou insistir – falei.

Então, munida de um dos dois últimos pedaços, um aparente suculento filé de costela, resolvemos fazer uma segunda tentativa – até porque o animal, que ficou de fora do churrasco de domingo, em que mencionei que havia me decepcionado com a carne da Voa Boi também queria dar o seu veredito.

bento1MUITO IMPORTANTE

Cortamos o filé de costela em três partes, uma vez que gostamos de carne mal passada.
Olha!

mail.google.comOOOOOOOOOHHHHHHH!!!!
Um pedaço para mim, outro para o Chico e uma lasquinha (sem sal) do terceiro para o animal

Bento foi o primeiro a ganhar o seu. Deu mortal de costas de felicidade. Lambeu o prato. Então, chegou nossa vez de experimentar. Estava no ponto que gostamos. E era outra coisa completamente diferente. Pude entender perfeitamente o que a Didica estava falando no Whats App. Diferentemente do churrasco de domingo, este pedaço estava muito saboroso e macio. Comentamos a diferença, nos deliciamos. Talvez a diferença esteja na mão do assador? Talvez. Talvez tenhamos dado azar nos outros pedaços? Talvez. Nunca vamos saber. O que sim posso afirmar é que o próximo Voa Boi que aterrissar aqui em casa, será manuseado apenas pelo Chico e por mais ninguém. Na vida, o melhor é não correr riscos. Sobretudo com carnes e cortes nobres.

bento1DOU O MAIOR APOIO

Escrevia este post quando Chico me ligou comentando que o pessoal da Voa Boi entrou em contato com ele sobre o post anterior. Ficou de me explicar melhor mais tarde, mas já adiantou que me enganei sobre o Kobe Beef. Peço sinceras desculpas. Pensei estar junto no kit que encomendamos, como falei no post anterior, mas estava enganada – e já fiz questão de corrigir. Digo sempre e repito que a ideia do blog é passar minhas impressões a respeito do que vivo e experimento. Quando cometo erros, peço desculpas. Desculpa mais uma vez.Infelizmente, não tive uma boa impressão no churrasco de domingo. Mas são coisas que acontecem.Pelo menos, a última impressão foi a que ficou.

mail.google.comNHAM NHAM!

Compartilhar
Mari Kalil

Mari Kalil

Sou escritora, jornalista, colunista da Band TV e Band News FM e autora dos livros "Peregrina de araque", "Vida peregrina" e "Tudo tem uma primeira vez". Sou gaúcha, nasci em Porto Alegre, vivo em Porto Alegre, mas com os olhos voltados para o mundo. Já morei em São Paulo, no Rio de Janeiro e em Barcelona. Já fui repórter, editora, colunista. Trabalhei nos jornais Zero Hora, O Estado de S.Paulo e Jornal do Brasil; nas revistas Época e IstoÉ e fui correspondente da BBC na Espanha, onde cursei pós-graduação em roteiro, edição e direção de cinema na Escuela Superior de Imagen y Diseño de Barcelona. O blog Mari Kalil Por Aí é direcionado a todas as mulheres que, como eu, querem descomplicar a vida e ficar por dentro de tudo aquilo que possa trazer bem-estar, felicidade e paz interior. É para se divertir, para entender de moda, de beleza, para conhecer lugares, deliciar-se com boa gastronomia, mas, acima de tudo, para valorizar as pequenas grandes coisas que estão disponíveis ao redor: as coisas simples e boas.

Sem comentários ainda.

Comentar

Seu endereço de email não será publicado

Utilize as tags HTML : <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Facebook

InstagramInstagram did not return a 200.