Os pingos nos is

São precisamente 10 horas e 22 minutos da noite de quarta-feira e nós acabamos de voltar a pé da casa dos avós maternos, né Bento? Fomos pedir peloamordedeus ao pai que tirasse os pontos das minhas costas. Retirei cinco sinais das costas há três semanas e estava com pontos vencidos desde então. Era para ter comparecido ao consultório médico, mas essa falta de tempo me impediu. Então, os pontos começaram a se enraizar no meu organismo, e eu comecei a me sentir uma espécie de lobisomem, com aqueles fios pretos se apossando das minhas entranhas.

ELA ADORA SER MELODRAMÁTICA

Isso que nem comecei a contar da maldita coceira que os malditos pontos já começavam a me proporcionar. Mas está tudo acabado, graças a Deus. Exceto minhas costas, que mais parecem uma colcha de retalhos. Nessas horas, faço minhas as palavras do Chico. “Podia ser melhor? Podia. Mas também podia ser bem pior”. O que quero dizer com isso é que a tal colcha de retalhos podia estar na minha testa.

PODIA SER BEM PIOR MESMO

Mas eu não sentei aqui na frente do computador, quando gostaria de estar bem deitada na minha cama, para falar da colcha de retalhos das minhas costas. Eu sentei aqui para dizer que, enquanto assistia a novela com a mãe e o pai, peguei o celular e fiquei olhando os comentários do blog. E fiquei um pouco triste de ver como a gente pode ser mal interpretada. Eu sei que, quem se dispõe a escrever um blog ou um coluna no jornal, está sujeito a toda sorte de interpretação – para o bem e para o mal. Mas confesso que é bastante duro quando falamos A com a pura intenção de dizer A e algumas pessoas entendem B.

ELA ESTÁ FALANDO DE MIM

Quando eu contei do encontro do Bento com a Sophie Valentine, e do desejo de ver nascer frutos desse namoro, eu não pretendia levantar nenhuma bandeira contra ou a favor da adoção de animais. Eu pretendia apenas relatar uma sensação que passei a sentir ao ver que meu cachorro, companheiro de toda vida, está com 12 anos de idade e que, de repente, me peguei diante dessa finitude cada vez mais próxima. Pretendia apenas dizer que senti um certo conforto no coração ao imaginar que poderia, quiçá, ter o privilégio de contar com a companhia dele por mais muitos e muitos anos com a chegada de um herdeiro. Só isso.

ME SENTI HOMENAGEADO

Mas me vi entristecida, por exemplo, ao ler esse comentário da Ju:

“Faço das palavras da Dani as minhas. Nós que lutamos diariamente pra conseguirmos lares pra animais abandonados, que incentivamos a castração e vemos tantos casos de abandono por aí, ficamos arrasadas de ler uma matéria como essa. Tu, como pessoa pública, que consegue ter alcance de um número enorme de pessoas, deverias dar o exemplo e usar essa popularidade pra ajudar uma causa tão difícil, incentivando a castração e a adoção de animais abandonados ou que vivem em abrigos. A realidade é muito dura, pensa nisso.”

ELA PENSA NISSO, JU

Eu penso nisso, viu, Ju!? Não só penso, como colaboro com muitos animais abandonados. Mas não vou usar meu blog para propagandear a mim mesma. Faço porque amo animais e isso basta. Basta a paz que eu sinto comigo mesma de poder colaborar como posso. Quanto a participar com campanhas e feiras de incentivo a castrações e adoções de animais com a minha imagem e a minha “popularidade”, se eu puder ser útil de alguma forma, aqui estou, à disposição.

EU TAMBÉM

Uma coisa não anula a outra: o fato de eu desejar perpetuar de alguma forma a existência do meu melhor amigo não significa que não incentive todas essas outras causas. Mas, enfim, só queria dizer isso para conseguir dormir sem ficar engasgada. Ah, claro, um último recado: fiquem tranquilos e não se preocupem em me dar mais lições sobre alimentação canina. Eu não dou brigadeiro ou chocolate de qualquer tipo para o animal. Sob hipótese alguma. No máximo, deixo que ele dê algumas lambidinhas no meu dedo lambuzado.

PARA O MEU DESESPERO

Compartilhar
Mari Kalil

Mari Kalil

Sou escritora, jornalista, colunista da Band TV e Band News FM e autora dos livros "Peregrina de araque", "Vida peregrina" e "Tudo tem uma primeira vez". Sou gaúcha, nasci em Porto Alegre, vivo em Porto Alegre, mas com os olhos voltados para o mundo. Já morei em São Paulo, no Rio de Janeiro e em Barcelona. Já fui repórter, editora, colunista. Trabalhei nos jornais Zero Hora, O Estado de S.Paulo e Jornal do Brasil; nas revistas Época e IstoÉ e fui correspondente da BBC na Espanha, onde cursei pós-graduação em roteiro, edição e direção de cinema na Escuela Superior de Imagen y Diseño de Barcelona. O blog Mari Kalil Por Aí é direcionado a todas as mulheres que, como eu, querem descomplicar a vida e ficar por dentro de tudo aquilo que possa trazer bem-estar, felicidade e paz interior. É para se divertir, para entender de moda, de beleza, para conhecer lugares, deliciar-se com boa gastronomia, mas, acima de tudo, para valorizar as pequenas grandes coisas que estão disponíveis ao redor: as coisas simples e boas.

Sem comentários ainda.
  1. Oi Mari e Bento!!! Concordo totalmente com você! É uma pena que existam pessoas tão intolerantes que não saibam conviver muito menos respeitar os desejos e opiniões alheias!
    Parabéns pelo trabalho no blog e no jornal, sou sua fã!!! Mas confesso que muito mais fã do Bento!!!! O Bento podia fazer um clubinho de amigos também né, tenho um shihtzu que se chama Theodoro e que adoraria ser amigo dele (ele é tão ou mais ansioso quanto ao Bento quando se trata de passeios)!!! hehehehehe
    Bjos

  2. Não liga pra esses animachatos (criei essa expressão agora, por não saber outra que identificasse os que lutam pela causa animal), porque quando incentivaste o namoro e possível acasalamento do Bento, essa gracinha, querias perpetuá-lo, somente isso. Além do mais, Bento e Sophie Valentine, são cães de raça e, normalmente, estes não são abandonados. Quanto a dares brigadeiro a ele, por que não? Umas lambidinhas nesta delícia, não vão fazer mal algum, desde que seja de vez em quando. Antigamente, a gente dava de tudo aos animais domésticos e nada fazia mal. Agora tem muita “frescura”. Fica em paz e bons sonhos. Rachel

  3. Mariana, deu pra ver como tu se sentiu incomodada com os comentários mesmo. Não dá bola, quem é teu fã, conhece teu trabalho e imagina através do blog como tu e o Bento são super próximos, assim como muitos de nós que tem cachorros, sabe que não foi por maldade que tu falou o que falou. Não vejo problema nenhum de tu “continuar” próxima dele tendo filhotes. Também queria ter tido filhotes do meu cachorro que morreu, porque eu sei que eu cuidaria muito bem desse filhote. Aliás, tenho certeza que um filhote do Bento seria muito bem cuidado por ti e com certeza não seria abandonado. Porque tem animais abandonados e porque tu apoia a causa não significa que tu podendo ter um filhote do teu cachorro da vida inteira, precisa adotar um porque ele foi abandonado. Me diverti demais com essa publicação imaginando o encontro deles e principalmente a parte do Bento olhando pela janela e do “Nunca vou dizer” (sobre o que ele estava pensando) hahahahaha. Parabéns, teu blog é demais!

  4. Entendo perfeitamente essa coisa de falar A e as pessoas entenderem B….. Acontece muito comigo!!!!! E é claro que é absolutamente normal tu querer uma “continuação do Bento”!!!!! Também entendo a pessoa que postou aquele comentário…. essa luta é dura, diária…. constante…. não compre, adote!!! E as pessoas acabam ficando meio “duras”…. mas acredito que houve um mal entendido!!!! E é claro que tu cuida muito bem do Bento…. senão ele não teria 12 anos!!!! Fique em paz….. bjs pros 2

  5. O post do encontro do Bento e da Sophie foi um dos melhores que já li. Entendi claramente o teu sentimento em relação aos filhotes do Bento e achei muito legal compartilhá-lo com todos nós. Bjs.

  6. Querida Mariana!
    Entendo perfeitamente teu ponto de vista, e mais do que isso, partilho integralmente dele. Também ajudo as causas relacionadas com animais sempre que possível, mas não gosto quando este tipo de comentário como este que te fizeram se torna rotina. O amor que tens pelo Bento é a prova cabal do amor que tens por animais, mas é claro que teu amor por ele é especial (imagina todo e qualquer momento vivido ao lado dele, quantas vivências e alegrias!) e pensar na possibilidade de um amor “estendido”através de um filhote dele é natural demais!!!
    Pena que as pessoas interpretam sempre tudo enviesado, de acordo com os interesses que possuem e percam o sentido maior do que foi dito. Na verdade, mais do que isso, as pessoas parecem estar perdendo a capacidade de pensar e ver além dos antolhos que carregam, criticando tudo que não compreendem.
    Então tens todo meu apoio!!!! Beijos pra ti e lambidas para o Bento enamorado (e para a Olívia também!).

  7. Mariana, entendo perfeitamente o que disseste, uma coisa não invalida outra, mas o mundo é assim, sempre tem quem prefere distorcer. Cuido e me preocupo com os cachorros abandonados o que não quer dizer que não vou sofrer e sentir saudades quando meu se for e que eu gostaria de ter um filhote dele…

  8. Oi Mariana, adoro os seus posts, leio sempre e fico ansiosa pra ler o próximo, adoro o jeito de tu escreve.
    Quanto ao Bento, eu tenho um Bento aqui em casa, quis dizer, tenho um lhasa apsu também, ele tem 4 anos e se chama Zeca e eu também adoro animais, mas então porque eu preferi pagar para ter um lhasa? Por que eu adoro as características da raça, amo o silêncio, o fato de ele estar sempre alerta, sendo companheiro em tudo, amo a personalidade deles, sem contar aqueles dentinhos pra fora que são uma fofura, adoro o meu peludinho e isso não me faz gostar menos de outros. Imagina se todos preferissem aos cães de rua e castrassem os de raça, logo estes, os últimos se extinguiriam, é isso?
    Respeito as opiniões alheias, mas não troco o meu peludinho, que tem tudo o que eu mais almejo num amigão.
    Escolhi esta raça, a dedo e não troco por nenhuma outra, sou apaixonada por eles.
    Quanto às pessoas que te entristecem, acho que falta amor no olhar e sobra muita maldade, pois as pessoas só leem o que querem.
    Beijão pra ti, pro Bento e pra Olívia, adoro vocês e suas aventuras diárias.

  9. Mariana , fiquei triste pelo fato de terem te magoado com palavras ásperas e sem sentido , pois se não conseguiram entender o que disseste , não vale à pena dares mais explicações . Foste tão clara na tua colocação , que para bom entendedor , meia palavra basta !! seria lindo se o Bento tivesse um filhotinho para te fazer mais 12 anos de alegre companhia !!!! bjs e dorme com os anjinhos com bons sonhos !!!

  10. Mariana, tens todo o direito, seja ao desabafo ou ao incentivo do “namoro” do Bento. As pessoas são muito cartesianas, julgam o fato isolado do contexto em que as coisas – ou pessoas – estão. Como tu disse, “uma coisa não anula a outra”. O sentimento que está por trás da tua empolgação com a possibilidade de uma espécie de continuidade do Bento é genuíno e muito tocante. E compreensível especialmente para quem já viveu a perda de um mascote amado. Talvez, de tudo isso, fique também a reflexão (ou lição) para a pessoa que comentou a tua atitude. Para que ela veja por um outro prisma e, antes de criticar (não digo nem julgar, pois a ninguém cabe esse direito) pondere o sentimento e o contexto que envolvem este tipo de situação. E dito isso, é como diz a sabedoria popular “cada um sabe da sua vida”. Não é ?

  11. Mari, vou meter meu ‘nobre’ bedelho na conversa:
    Eu tenho dois cachorros um de porte grande, criado dentro de casa e outro de tamanho menor criado também em casa.E além disso mais quatro gatos que convivem (geralmente) de forma muito harmoniosa com os cachorros.
    Eles comem de tudo: chocolate (sim! comem pq são porções inofensivas), fruta, comida de pet, comida de gente…
    E são saudáveis, tal qual o diagnóstico do veterinário que acompanha eles desde pequenos.
    Quanto as pessoas que incentivam a castração em nome da saúde pública, do ‘bem-estar’ dos animais, que acham um crime querer cruzar os bichinhos por haver animais abandonados eu queria muito sinceramente que me respondessem porquê a castração-que deveria ser a última opção- torna-se a primeira para resolver o problema seríssimo de abandono de animais? As chances de adoção aumentam depois que tu castra o bicho? Tu castrando eles simplesmente elimina todo o problema?
    De coração, falo por que tenho amor aos animais e mato e morro pelos meu bichos e por tantos que encontro pela rua: a castração não resolve o problema. Tem que conscientizar as pessoas, responsabilizá-las judicialmente pelo abandono de animais, porque falta o caráter e o comprometimento da sociedade como um todo, para entender que a vida de um animal, vale tanto quanto a de um humano. Que bicho tem que ser respeitado. Infelizmente quem larga os animais na rua já prevê que alguma ONG vá acolhê-lo ou castrá-lo, e assim o faz.
    Se puder me manifestar mais uma vez, vou dizer: a castração não é o caminho certo, é o que é mais condizente à aquela mesma sociedade que acoberta o abandono.
    Mari, não vou me estender ainda mais. Espero não ter ofendido a ninguém, apenas quis expor a minha opinião. E talvez tentar mostrar um outro lado da moeda.
    Beijo

  12. Bom,,mesmo com o Djiby me tirando toda hora o telefone, vou conseguir falar.
    Gente, prq existem pessoas tão chatas nesse mundo????
    Como é fácil julgar os outros né?
    Bom, mas o que eu queria dizer é o seguinte:
    Vai fundo Bentinho!!! O Gordo tb era um virgem juramentado, mas a três meses atrás conheceu uma Poodlle chamada Jade, só que não teve nem a opurtunidade de conhecer seus filhotes, prq a mãe da Jade se mudou e nem nos deu o endereço.
    Estamos muito tristes, e esperamos que nossos filhotes estejam bem e sejam muito amados .
    Boa sorte querido!!! Bjbj

  13. Mari!
    Quem acompanha vcs, sabe mto bem o tratamento que o Bento tem em casa, do amor e carinho que tu sente por ele e demonstra todos os dias… Essa história do brigadeiro pro Bento, chega a ser engraçada, pq é otimo ter alguém em quem colocar a culpa ne?!?!?! heehe meu Benjamin aqui em casa também tem as costas largas… hehehe
    Sinceramente, tem certas pessoas que não merecem o disperdicio do teu tempo…assim como eu, que espero todos os dias ansiosamente as peripécias do Bento, tu sabes que tem milhares de outros leitoras(es) que merecem continuar rindo das tuas idéias ótimas.
    Espero que a noite de hoje apague esse desconforto que te causaram e que tu deixe esse episódio pra trás…
    E tu estas certas em querer um pedacinho do teu companheirinho…e ninguem tem absolutamente nada a ver com isso!!!! Adoro vcs!

  14. Mari,
    Quem realmente ama o seu animal de estimação, independente se ele ter sido comprado/adotado/encontrado/etc, sabe o quão dolorosa é termos a ciência de que nosso companheiro(a) tem a vida mais curta do que a nossa.
    Eu adotei a minha melhor amiga e ela veio castrada, e entendo a importância desse procedimento no processo de adoção, mas só eu sei como gostaria que ela pudesse me deixar herdeiros com aquele mesmo focinho molhado que adora procurar a minha mão em busca de cafuné! =D
    Enfim, as pessoas levam bandeiras em situações e locais nos quais não precisam e assim, nem dá bola! Sempre vão ter os que vão ver “pelo em ovo”!

    Beijos p/ti e p/Bento!!!

  15. Mariana, existe “por aí” uma turma de chatos (felizmente é uma minoria) que não deixa passar nada sem deixar a sua “opinião definitiva sobre tudo”. Falta muito de interpretação de texto pra estas pessoas (acho que faltaram às aulas de português): elas leem uma coisa e – surpresa – entendem outra. E dê-lhe falar besteiras! Não desanima! A grande maioria dos leitores são inteligentes e entendem bem o que tu (e outros profissionais da imprensa) escrevem. Força, amiga! Fraternais abraços!

  16. Mariana, fico tão incomodada e irritada com esses comentários tentando “dar lição de moral” que te escrevi no post errado… Então, copiei e colei o comentário acima, no post certo. Podes ignorar o outro. Beijo, querida! Tu és o máximo!

  17. Hoje em dia as pessoas acham que quem não pensa igual a elas, está errada. Independente de tu ajudar ou não adoções, castrações e afins de animais, tu tem todo o direito de querer continuar a linhagem de um ente que tu ame muito. Nós amamos nossos bichos como uma pessoa da família, um filho. Se uma pessoa morre, mas deixa um filho no mundo, nós não achamos lindo a pessoa ter deixado sua semente na terra (ou no caso, a planta da semente)? Porque não podemos ter um fruto feito pelo nosso bichinho amado? CLARO que nunca queremos pensar que nosso amado filhinho um dia irá morrer, mas ao mesmo tempo sabemos que eles vivem menos do que os humanos. Bento está com 12 anos e mesmo com todo esse amor e vida boa, sabemos que infelizmente ele não viverá pra sempre. E independente dos animais abandonados tu tem todo o direito de querer ter, nas palavras da Michelle do comentário acima, “uma continuação do Bento”. Como pessoa conhecida, como jornalista, como uma pessoa que tem um blog e expõe tuas opiniões, tu sabe que está a mercê de todo o tipo de comentários, mas ao mesmo tempo, ninguém tem o direito de censurar o amor de uma mulher pelo seu melhor amigo, pelo seu filho. Desculpa por não ser tão boa nas palavras como você, mas queria deixar aqui meu apoio, pois amo muito os animais, tenho duas gatas adotadas e entendo teu amor pelo animal. Beijocas

  18. Prezada Mari, li e não acreditei, na patrulha. Não escolhemos quem amamos, só amamos, não precisamos divulgar o que fazemos e pra quem fazemos. Se nós temos um cão ou gato, de raça ou não…temos de fazer o melhor, cuidar deles. Já é o inicio, um exemplo, quem te acompanha sabe que cuidas do bento como filho, e como toda vó, sim avó..quem não quer ter netinhos?? ver a continuidade daqueles que dedicam tanto amor e tempo a nós. Eu super apoio.
    Eu tenho um lindo shitzu chegamos a gastar mais de 3 mil para salvar a vida dele, dane-se, era nosso filho, aquele que nos deu muito sem pedir nada. Ouvi muitas pessoas falarem, mas é só um cachorro, adota outro. Não quero outro quero o meu. Não escolhi ele, ele me escolheu, hoje ele é castrado, mas gostaria muito de ver um bebezinho do meu filho. Quemãe não quer ser avó..hehehe.. E eu apoio as castração, as adoções, brigo por maus tratos, não sou indiferente porque amoos animais, mas o Johnny é meu filho, entende? E super apoio tua causa. Não ta sozinha.

  19. Oi, queridos Bento e Mariana.
    Também fico triste quando leio esse tipo de coisa. Até porque o meu sonho é ter uma Lulu da Pomerania (cachorro de raça? Que horror!). Mas isso não tem nenhuma relação com gostar de animais de rua e ajuda-los.
    Comentei no facebook da Gabi Chanas que amo as Lulus e fiquei feliz com a capa da Donna. E vi a mesma repercussão: pq nao colocar um vira-lata, um veiculo formador de opiniao e blá blá blá.
    Agora tem que pedir desculpa por querer/amar um animal de raça? Quem tem um cachorro com pedigree é um criminoso? Desculpa, mas assim que me sinto.
    Quem realmente ama os animais não liga para raça, cor, pedigree.
    Sim, temos que fazer campanhas, ajudar, divulgar e etc.
    Sinceramente, fico sem motivação para ajudar essas pessoas que só sabem criticar. Por isso escolho “a dedo” qual local vou contribuir.
    Criticas construtivas são sempre bem vindas, lógico. E importantes. Mas não julgue antes de conhecer alguém, estou certa?
    Desculpa o desabafo. Passo por isso quando falo que quero uma Lulu. E como é ruim levar “pedrada” de gente que não sabe nada da nossa vida.
    E obrigada por proporcionar tantas coisas legais com a tua escrita!
    Um beijo para voces!!
    Ps: aposto que vão me condenar por esse comentário…afffff

  20. Que chatice sem tamanho viu????
    Acho muito louvável essas pessoas que defendem uma causa e trabalham por ela, mas isso não dá o direito nenhum de achar que todo mundo tem que ser igual. Isso me irrita pra caramba.
    E esse lance de não poder ter um filhotinho do Bento é a mesma coisa de dizer que ninguém mais pode ter filho da própria barriga, porque outras pessoas abandonaram os seus. Radicalismo extremo.
    Há que pesar as coisas e pensar mais antes de escrever qualquer besteira….
    Não liga não Mari… sempre tem os invejosos de plantao….

  21. Mari! Sei como é chato quando pensamos (e falamos) A e as pessoas entendem (ou distorcem para) B. Quando eu li, entendi perfeitamente o que vc estava querendo dizer. Vai da cabeça de cada um. Essas pessoas que criticaram, acabaram por mostrar um outro lado da história, que ao ver delas é muito válido. Cada um tem uma opinião ou ideia, não vejo mal nenhum em vc manifestar a sua no SEU blog. Aliás, é por isso que leio ele, pois me identifico com o seu jeito de ser e de expressar as opiniões (mas principalmente pelas dicas valiosas que vc dá =]). Só que sempre vai ter aquele que não vai entender, vai criticar, fazendo com que a gente pense no lado dele também. Cabe saber separar o que é uma crítica construtiva de um comentário infeliz de uma pessoa que certamente fica feliz deixando os outros tristes.
    Tenha um bom dia!!! E seja feliz, vc merece muito!!!

  22. Oi Mari… não liga não… Eu sei que os defensores dos animais também são contra a compra de animais… Mas nem por isso eu deixei de comprar meu cachorro, afinal era a raça que eu queria… Acho que se existem milhares de raças é para que possamos escolher com qual poderemos nos relacionar. Sabe, as pessoas dão um dedinho pra falar mal, julgar, criticar os outros, como se fossem os donos da verdade… Eu li uma frase essa semana e levo pra minha vida… Se for pra falar da vida de alguém, fale da vida de Cristo, pois essa sim vale a pena… =)
    Pessoas para criticarem nossas escolhas (ter filhos ou não, praticar esporte ou não, ser magra ou não) tem aos montes… mas quem disse que as escolhas deles são as corretas?
    Sabe, não sou contra a adoçao de animais, e acho muito legal quem os leva pra casa e ajuda e tals… Mas não podemos esquecer que a raça humana tambem sofre diariamente o abandono, a falta de comida, de roupa… Isso é de cortar é coração muito mais que qualquer coisa… E nós o que fazemos? Quantos ajudamos um asilo, uma creche, sendo levando um sorriso, um brinquedo, comida ou roupas?
    É tao fácil julgar quem tem um cão de raça, ou quer faze-lo procriar, ou trata o animal como um filho…
    Tão fácil julgar isso ou aquilo…
    Tão fácil olhar para os erros dos outros e tão dificil olhar para os nossos…
    Tem uma historinha antiga que conta que uma mulher se mudou, e todos os dias olhava pela janela e falava: “Essa vizinha não sabe lavar suas roupas, estao todas encardidas”… “Olha só esses lençois amarelados”… “Preciso ensinar essa vizinha a lavar roupa”… Um belo dia, ela resolveu lavar as vidraças de sua casa… E de repente as roupas da vizinha apareceram branquinhas… óóóóóóóóó….

    Desculpa Mari, o tamanho do comentario e provavelmente ele tenha ficado meio desorganizado… Mas eu me indigno com essas pessoas que só sabem julgar… Pra elas… Enxadex… :P

    Beijos no coração e fica com Deus

    P.S.: Meu cachorro é castrado… mas será que foi a melhor opção mesmo?? Como será que ele se sente em ter tido sua virilidade extinta por um desejo egoista meu?

  23. Entendo e concordo contigo. Confesso que, relativo a estes dois posts, parei de ler os comentários (sempre leio todos…gosto..), justamente por isso, fiquei triste. Comentários assim, acabam com a leveza do texto, quando na verdade, são uma questão de interpretação. Entendo que a exposição pública do texto e de fatos privados, dê esta falsa impressão às pessoas, que podem julgar, sabendo apenas do “pedacinho” da realidade que está ali descrito. Entendo, mas não concordo, pq, ainda que seja um blog, e que a gente se sinta tão “íntima”, pq se reconheça em tanto atos, temos q ter o bom senso de entender que conhecer um pedacinho da história, não é conhecer o todo, para que tenhamos cuidado em fazer julgamentos deste tipo.

  24. Bom dia,Mari!! Acabei de ler teu post e fiquei me questionando,o porquê uma coisa tão simples se torna gigante?! Tu apenas comentou como foi emocionante para ti essa sensação ao meu ver não levantou nenhuma bandeira de incetivo a procriação canina! E cheguei a seguinte conclusão……. Não há explicação, cada um entende como quer!!! Dá bola não,adoro vocês!!BJ

  25. Que feio essas pessoas que ficam julgando as outras… E outra existem outros blogs que apelam pra essa “causa”, há espaço pra todo mundo!!

    Enfim… adoro teu blog, ele é muito autêntico! Beijos pra vocês!

  26. Olha, eu sou chata sim. E muito. Eu entendo perfeitamente que a Mariana queira um herdeiro do Bento, mas, infelizmente, e ela sabe disso, o herdeiro não será ele, e ela não criará um amor instantâneo por ele só porque o filhote é filho dele. Mas até pode ser um consolo. Pequeno, no meu ponto de vista.

    No mais, ter cachorro de raça, na minha opinião ainda, é uma questão de status e de moda. Eu quero um cachorro assim ou assado, que tenha determinada aparência. Para quem se liga em aparências, isso pode ser muito importante. Afinal, se compra carro de determinada marca e modelo por isso, se compra sapato pela aparência que se vai ter, por que não se compraria cachorro também por essa razão?

    Quem acha que cachorros e gatos de raça não são abandonados, não sabe nada sobre esse assunto. Não é porque o bicho sai caro que as pessoas tratam melhor ou pior. Vejam os índices de abandonos de animais nos meses de janeiro e fevereiro, muitos dos quais foram comprados para “presente” de Natal.

    E mais a mais, a Mariana é muito inteligente, acho que ela deveria ter esperado esse tipo de reação. Ela é uma pessoa pública, está acostumada a se expor. Não acho que ela foi mal-entendida. É que realmente têm muitas pessoas que pensam diferente dela sobre esse assunto, e muitas são muito radicais, então era de se esperar que escrever sobre isso causasse muita polêmica.

  27. Olá Mariana! Adoro muito o teu blog! Com relação aos filhotes do Bento.. vou te contar uma história… há 11 anos eu havia ganhado uma cadelinha (york) de 6 anos de uma criadora, pois ela já era “idosa” e não podia mais procriar então foi castrada e eu tive a sorte de poder me tornar sua dona! A Aysha foi o amor da minha vida, ela era muito pequenina e eu a carregava para cima e para baixo… éramos um grude até em demasia.
    Mas enfim… os anos foram passando e quando ela estava com 16 anos desenvolveu insuficiência renal crônica, foram os piores dias da minha vida, pois eu me agarrava a ela e chorava muito sabendo que a qualquer hora a minha pequena não estaria mais ao meu lado. Foi um período de dedicação total, pois era como se fosse um bebê e me exigia muita atenção (medicamentos várias vezes ao dia, corridas de madrugada ao veterinário, noites praticamente em claro e não reclamo, pois o amor era tão grande que vencia o meu cansaço, sim pois desde que ela ficou doente eu não sabia mais o que era dormir uma noite tranquila de sono) e quando eu percebi que estava sendo muito egoísta tive que tomar a decisão mais difícil do mundo… e deixei o meu anjinho descansar (ela já havia completado 17 anos e 3 meses)
    Quando tu falas em um herdeiro do Bento entendo perfeitamente o que tu sentes, mas posso te dizer com toda a certeza do mundo… ele vai sempre ficar guardado no teu coração e o herdeiro vai ser provavelmente diferente do Bento. Como a Aysha era castrada eu não pude cruzar e ficar com um filhote dela, mas isso não importou, pois eu tive a sorte de conhecer a Jolie, que é tão especial quanto a Aysha e a Aysha continua sempre na minha lembrança e no meu coração.
    Então independente de o Bento te dar um herdeiro ou não… ele será único sempre no teu coração.
    E só para constar Rachel Vaccari Vassão, os animais de raça são sim abandonados e com mais frequência que tu possas imaginar, pois normalmente são dados de presente às crianças e depois tornam-se problemas o que facilita o seu descarte.
    Mariana, tens que fazer o que o teu coração mandar e ponto final, não cabe aos outros te julgar pelas tuas decisões. Beijos!!!!

  28. Seriooo que as pessoas acharam que tu dava chocolate pro Bento… será que elas pensam que ele realmente fala… bando de ignorante. Outra coisa tu agora vai ser obrigada a castrar o teu cachorro porque existem animais abandonados? Serio tem coisas no mundo que ta saindo do controle… tem que ver isso aí hein?!! O preconceito é ruim mas o fanatismo é pior

  29. Bom dia Mari,
    em primeiro lugar amo o seu blog, amo o bento…e amei a postagem do encontro dele (até por que estava mega curiosa sobre esse encontro) hahaha’ mas em fim…concordo com a opinião de todos que se manifestarão neste blog e respeito, mas devo dizer que esta situação de fazer nossos pequenos terem seus filhotinhos asemalha-se a situação de crianças abandonadas por que os orfanatos e lares de cuidadores também estão cheio de crianças, adolescentes e bebes abandonados, mas nem por isso as pessoas vão lá e adotam, por que devemos ir em um canil que também esta cheio de animais abandonados e adotar, qual a diferença? que a primeira é mais responsabilidades sim, mas é a mesma situação na minha humilde opinião, nossos cães são como nossos filhos, fazem parte da familia, é como se fosse um parente, quando você compra você sabe de onde veio, você acompanha os primeiros passinhos a sensação é de estar nascendo de você, é uma pena que eles vivem tão pouco e é por isso o motivo que nos faz querer terem eles perto de nos a cada ano de nossas vidas, fazer com que tenham uma geração, se as pessoas não se concientizam e abandonan os animais, da mesma forma existe pessoas que abandonan seus filhos arrecem nascidos ou o que é pior jogam em uma lata de lixo, neste mundo de hoje com tanta maldade não dá pra querermos abraçar à todas as causas da humanidade, ajudamos e colaboramos como podemos mas ninguém tem o direito de me pedir pra castrar minha filha de 4 patas por que tem outros abandonados na rua, ou por que os filhotinhos dela possam ser abandonados por pessoas que venham a adquirir eles, acho lindo quem consegue adotar um animal, gostaria muito, acho mais lindo ainda quem vai a um orfanato e adota uma criança…mas mesmo assim pra quem vive em apartamento, casa alugada é preferivel saber a dedo de onde seu bichinho veio!!! e com certeza colaboramos da nossa maneira para aqueles que por algum motivo pararam nas mãos de pessoas irresponsáveis e isso vale para os animais e para as crianças, por que se mostramos e conseguirmos de alguma forma plantar nessas crianças o amor pelos animais futuramente teremos menos animais abandonados…Obrigado Mari, por a cada manhã tornar meu dia agradavél com suas postagem no blog. Beijão **

  30. Nem esquenta com isso, Mari!
    Não é à toa que, em concursos e vestibulares, as provas de Língua Portuguesa que se baseiam em “interpretação de texto” têm as notas mais baixas e cortam uma galera!!!
    Bjs!

  31. As vezes eu penso, se as pessoas fazem seus comentários querendo agregar alguma coisa, ou simplesmente querem encher o saco! Desconfio que é para encher o saco mesmo!! Pra mim, basta eu ler o teu blog para ver o quaaanto tu amas os animais, pois toda essa preocupação com o Bento deixa isso bem claro…agora se outras pessoas querem defender suas causas e criticando tudo que foge a sua causa, só resta lamentar! Com relação ao brigadeiro, óbvio que não darias chocolate ao Bento, mas isso é blog..e se contam histórias..etaaaa povo!!! Tá tudo liiindo sem estres..
    Bjosss

  32. Mariana, bom dia!
    Credo, o que tem a ver o #@$%%& com as calças, pq o fato de apoiares o Bento significa que és contra a castração e a favor do abandono de animais. Gente chata e que tem tempo de entrar em um blog leve para criticar do nada algo que não tem fundamento algum.
    Eu adoraria que minha poodle com pincher de 13 anos deixasse alguns filhotinhos para nós, eu e minha mãe, mas não dá.
    Então, não esquenta, as pessoas estão sempre prontas a apontar o dedo, mas ajudar, que é bom nada…

  33. Adoro ler teus posts! Não dê bola pra esse tipo de gente, cada um luta pela causa que tem mais afinidade… Por que esta mesma pessoa não incentiva a adoção de crianças? Visto que também tem muitas abandonadas e largadas a própria sorte… Quem gosta de animais, como você, nunca tratará mal um cãozinho por ser de raça ou não…
    O Bento é demais! E é lindo e nada mais justo que dar a alegria dele ser papai! hehehe… Beijos.. Sucesso pra vocês!

  34. Minha cunhada tem um shih tzu há alguns anos e quis ter um filhote dele para continuar na família. Depois do nascimento e respeitando o prazo, colocou um anúncio com os filhotes que restaram(por ela, ficaria com todos, mas o espaço que dispõe não permite), num grupo no Facebook(aqui em Rio Grande). Resultado: a discussão gerou mais de uma centena de mensagens quase ameaçadoras, acusando, criticando, crucificando a atitude dela. Temi que, se descobrissem o endereço dela, a casa fosse apedrejada. A duas quadras da casa dela, costuma ter feira de filhotes de raça para vender. Duvido que essas pessoas vão até lá agredir verbalmente os criadores.

  35. Mariana, acho que tu não deve ficar dando bola para o que os outros dizem. Acho muito legal a tua iniciativa de o Bento ter uma namorada e ter seus “filhinhos”. Eu adoro cachorros, sou encantada com o Bento, e seria a coisa mais bonitinha ver o Bento para cima e para baixo com seus filhotinhos heheh. Um beijo, e bom dia ! OBS: leio teu blog todos os dias, sem falta. Adooooooro !

  36. Mari, fica tranquila, o que importa não é a opinião alheia e sim o que o seu coração diz, é perfeitamente aceitável você querer filhotinhos do seu cachorro. Amo seus posts, fico olhando toda hora se tem publicação nova, pois fazem meu dia mais feliz! Amo o bento também acho ele demais, e tenho certeza de que você cuida muitíssimo bem dele e que não faz nada que possa prejudicá-lo. Quem acompanha seu blog sabe que você é uma pessoa com o coração enorme e que adora animais. Continue sendo essa pessoa maravilhosa! Bjus

  37. Oi, Mari! Simplesmente adoro você, a forma como escreve, a facilidade que possui para expressar-se: de forma singela, porém, muito sincera! Nunca comentei seus posts, mas, leio-os com muito carinho, pois é perceptível como tens afeto e cuidado com tudo o que escreves. És um alento em dias difíceis, pois saber que outras pessoas também dividem as mesmas angústias e dificuldades torna-nos mais humanos e mais próximos de todos. Quanto ao comentário: nos dias de hoje as pessoas conseguem complicar o que é tão belo e simples: o amor que você possui pelo Bento. Também tenho um amigo que possui 09 anos e sempre digo que ele é um dos amores da minha vida, porém, tenho que cuidar para quem, onde e quando falo sobre ele. Também sou sensível como você e fico triste e magoada quando as pessoas são duras, mal educadas e não sabem respeitar a opinião alheia. Simples assim: opinião cada um tem a sua e ponto! Beijo em você no fofo, amado e lindo Bento!

  38. Oi Mari!
    É por isso que o mundo anda tão chato. As pessoas se preocupam muito com o tal do politicamente correto, que acabam querendo impor isso aos outros, mesmo sem ter conhecimento de causa, só para parecer bonzinhos. No teu caso, a menina que comentou, o fez sem ter a mínima ideia das tuas ações e sentimentos. Não dá bola para isso, pois é muito fácil entrar em um blog e tentar “pregar moral de cuecas” como diria minha mãe. Tu ter o teu coração tranquilo é o que mais importa nessa vida! Ainda mais com um companheirinho tão charmoso e querido como o Bento, que tem todo o teu amor e atenção!

  39. Mariana adoro teus textos e quero dar minha opinião: admiro muito pessoas e entidades de proteção aos animais, eu ajudo com ração e as vezes procurando lares para adoção. Mas também defendo o direito de podermos escolher nossos pets. /sou apaixonada por gatos, tive a Kity uma himalaia que viveu comigo por 14 anos, que infelizmente faleceu, e tenho o Klaus um persa de 9 anos. Tenho o direito de querer essas raças que não vou encontrar em situação de adoção, assim como tu tens o direito de escolher um lhasa. Entendo teu sentimento da finitude de nossos amados pets , também estou vivendo essa preocupação. Claro que ter um herdeiro do Bento poderia ser um alento, nunca vai substituí-lo em teu amor mas é uma forma de manter um pedacinho dele contigo. Continue sempre postando tuas opiniões. /beijo

  40. Mari, querida e Bento, seu fofo. Não fiquem tristes. As pessoas realmente costumam ver as coisas somente de um ponto de vista. Eu ajudo os bichinhos abandonados, mas sempre sinto um olhar meio crítico só porque não adotei e sim, comprei (que horror!!!!) o meu Guri, meu shihtzu. E, quer saber? Sempre vou ter shihtzu. Fiquem bem!!!!Bjs

  41. Não posso acreditar que as pessoas levem para esse lado! É muita falta do que fazer!
    E mais inacreditável ainda é saber que tem gente que lê os posts e leva a sério que tu divida uma caixa de brigadeiros com o Bento! OMG! É muita falta do que fazer, não?! Adoro teu blog Mariana! bjs

  42. Oi Mari!
    Queria te dar um super parabéns pelo site e pelos teus textos!
    Leio sempre e me divirto muito.
    Te admiro um monte pelos textos e pela tua sinceridade e espontaneidade.
    Muitas vezes já pensei na paciência/tolerância/distanciamento que tu deve ter para ler os comentários que te escrevem, que várias vezes podem te interpretar mal.
    Tu, a Gabi Chanas e outras tem muito mérito por escrever o que pensam, e com o maior o carinho e cuidado e ainda assim devem ler absurdos daqueles que não tem entendem.
    Mas é muito fácil mandar recado quando a gente não gosta.
    Já quando a gente gosta, a gente acaba não elogiando.
    Então estou aqui para dizer que sou suuuuuper suuuuuper tua fã. Que meus momentos de distração do dia, são para olhar teu site ver se tem post novo!
    Tu me super ajudou a dar uma relaxada durante o doutorado, era uma página escrita e uma olhadinha no teu blog hehehe
    Para cada um que comenta reclamando, deve ter umas 50 lendo e te adorando.
    Beijão p ti e pro Bento!

  43. Oi Mari

    Acho que cad aum tem seu ponto de vista sobre qualquer assunto. O fato é que alguns sabem expressá-lo, outros não. Nem todo mundo pensa da mesma maneira e nem seria saudável se isso acontecesse. Portanto não mude a sua postura e forma de se posicionar diantes dos assuntos. Errados são as pessoas que ao invés de contribuir de uma forma correta e digna, usam o espaço para proferir agressões e maldades, perdendo assim, a oportunidade de expor suas ideias e contrubuir com a discussão (no melhor sentido da palavra).

    O Bento é um cachorro de sorte. Assim como muitos outros que são adotados ou comprados. O fato da forma como o cachorro entra nas nossas vidas, não importa, importa que fazemos o melhor que podemos para tratá-los bem.

    O importante é sermos pessoas boas, não adianta de nada ajudar cachorros de rua e mal tratar seus avós idosos, por exemplo.

    Poderia ficar falando horas sobre isso, mas vou parar por aqui. Hehehe…

    Parabéns pelo blog, adoro vocês.

    Bjs e bom trabalho.

  44. Oi Mari, eu entendi perfeitamente a tua postura, pois comentei em outro recadinho, sinto exatamente o mesmo pela minha Wendy. Concordo que devemos incentivar a adoção, tmb tenho a Star que apareceu no portão na praia há 4 anos e está conosco desde então, mas por favor se as pessoas tem sensibilidade com animais abandonados tmb deveriam ter com pessoas que amam seus peludos e a idéia de finitude é assustadora, dói e se temos a opção de possuir um herdeiro temos com certeza que faze-lo,Bjs prá vcs e Wendy e Star mandam lambidinhas para o Bento e a Olívia.

  45. Oi Mari!
    Nem me passou pela cabeça que tu desse chocolate pro Bento, pois vendo como tu ama o animal, é obvio que tu cuida muito bem da alimentação dele. Mas que eles ficam em volta pedindo ficam mesmo, o meu também fica, mas não ganha.
    Não fica triste não , tu tem todo o direito de escrever o que tu sente pelo Bentinho sem precisar levantar bandeira nenhuma. No mundo de hoje essa coisa de defender “as minorias” parece que se tornou uma obrigação e tu não pode mais simplesmente expressar teus sentimentos sem atacar e nem defender ninguém .
    Beijos pra ti, pro Bento e pra Olívia !

  46. Bom dia Mari,
    Leio todos os seus posts, mas nao sou muito de comentar, acho que sou timida rsrsrs.
    Mas com alguns comentarios que li fiquei realmente indignada.

    Primeiro, porque eu meu ver voce so quis falar do encontro do bento e do seu desejo dos seus descendentes, como se estivesse esperando “netos”, o que eu acho muito legal.
    Não quero ser mal interpretada, mas essa partidaria da adoção e da castração é muito extremista… claro que existem milhoes de animais para adoção, que antes de comprar um cachorro carrissimo as pessoas poderiam se lembrar que eles existem e tudo mais…
    Mas castrar e adotar eh a solução? Animais castrados tambem podem ser abandonados…
    Acho que ela esta remediando o problema, nao buscando a solução. No meu ver, as pessoas que compram um animal ou adotam, deveriam ter um cadastro onde se comprometem a cuidar dos mesmos, e se os abandonassem deveriam pagar multas ou alguma coisa nesse genero… Como diz aquela frase, que as pessoas so se preocupam ou se interessam quando tem que pagar, elas pensariam duas vezes em ter um animal se nao tiver a pretensão de ficar com ele.

    Achei interessante o comentario: entao as pessoas deveriam parar de ter filhos e adotar?
    Realmente, se a logica da nossa colega polemica estiver certa, ninguem mais pode ter filhos, so adotar crianças abandonadas (não falando que adotar seja ruim, nada disso, sou total a favor).

    Enfim, so queria comentar porque fiquei abismada como algumas pessoas acham que so porque voce e o bento sao famosos voces precisam abraçar todas as causas nobres e abdicar de suas vontades…
    E mesmo sem considerar o certo ou errado das nossas opinioes, o blog é e sempre será seu, sendo assim voce pode escrever o que quiser :)

    Bjos!

  47. mari, as pessoas se escondem no mundo virtual e falam coisas que não diriam na vida real. o que importa, no fundo, é essa vida real, e não o amargor daqueles que querem te machucar via internet. tu sabe que tu é uma boa pessoa, uma pessoa íntegra, com bons valores, que cuida daquilo que realmente é importante. bola pra frente! deixa esses chatos pra trás.
    bj!

  48. Deusmeuuuu!
    Algumas pessoas ligadas a causa dos animais parecem aqueles cavalos, que só olham em uma direção!
    Não se dão conta que tu amas os animais, e que isso não te tira o direito de querer uma cria do Bento, teu cachorro, mega bem cuidado?!
    Por favor! Patrulha agora até em blog?
    Gentem! Cada um cuida da sua vida!!
    E não é por seres uma pessoa pública, que tu tens que ficar levantando bandeiras disso ou daquilo, né?!
    Eu apoio a adoção, mas para quem se dispõe a isso. E apoio quem queira comprar um bichinho, sinal de que quer cuidar de outro ser vivo também, tanto quanto como quem adota.
    Partindo do pensamento destas pessoas, os humanos também deveriam agir assim: os avós pediriam para seus filhos que seus netos fossem crianças adotadas, e não filhos biológicos, pois o mundo também está cheio de gente precisando de um lar.
    Bjs pra ti Mari e pra ti Bento!

  49. Ah Mari, nem dá bola pra essa gnt chata, que tá sempre patrulhando a net, o face, o Twitter e o escambal !! O mundo tá tão politicamente correto que chega a ser sacal de vez em quando! E ó, quer saber? Dar um brigadeiro pro Bento de vez em quando não vai matar ninguém (nem a ele, rsrsrs), não dá importância pra esses malas cibernéticos! rsrrs bjão!

  50. Oi Mari!
    Eu sempre quis um cão da raça lhasa apso!
    Mas por ver tantos cães abandonados, nunca tive coragem de comprar, mas isso é um problema meu, não posso e não devo julgar as pessoas que compram!
    Até que um dia, a minha mãe ligou pedindo que eu fosse buscar um lhasa apso de 9 meses que havia sido abandonado, ou doado para uma família que não quis ficar com ele. Falei com o meu marido e fomos lá buscá-lo! Hoje ele (o Sushi) tem 5 anos e já nos deu um neto, o Guga! Cruzamos ele por indicação do veterinário, estávamos somente preservando a saúde dele!
    Bom, tudo isso para te dizer que animais de raça com pedigree são ABANDONADOS SIM, e precisam de amor, dedicação e um lar que os receba, como todos os demais!
    Não fique triste com os comentários maldosos, continue sendo a pessoa que você é! Uma jornalista cachorreira “das boas”! Beijos

  51. Mari, como sempre aplaudo teus posts pois os acho muito inteligentes, engraçados e pq não educativos tb. Me dá urticária esses protechatos que querem obrigar as pessoas a terem a mesma visão que eles, na verdade como qualquer fanático de qualquer coisa se torna chato ao querer enfiar goela abaixo a sua verdade sendo que em nada na vida possui uma verdade absoluta! Continues a escrever belamente como fazes todos os dias, nos contando tuas aventuras e as opiniões às vezes ácida e tb cômica do Bento (como a de te chamar de gorda), afinal o blog é teu, a opinião é tua e quem te segue é pq gosta de ti e compartilha da tua opinião. E és responsável pelo que escreves e não pelo que as pessoas entendem. Bjos prá vc e Bento (sendo ele de raça ou mesmo se não fosse o amaria igual)

  52. Boa Tarde Mariana, acho que empatamos… tb estou mega chateada com alguns comentários que li por aqui… fiquei sabendo que sou uma …. como é mesmo?… animachata??? acho que é isso. Te entendo por teres te chateado, sério, não é ironia. Acho que algumas pessoas por ambos os lados não sabem expor o que pensam sem ser de forma raivosa. No caso das protetoras eu as entendo mais lógico (sou uma delas). A causa animal é tão sofrida, tão desgastante que a gente perde um pouco a noção de como dizer as coisas. Isso tb me acontece, embora me policie constantemente. Não é o fato de quereres perpetuar o Bento, mas sim que não se sabe (não esclarecestes no post) o que acontecerá com os demais filhotes. Muito provavelmente serão vendidos, não é? E é isso que somos contra, e não preciso te explicar melhor, a tua inteligencia o faz por mim. Te peço desculpas pelas agressões, mas de verdade, releva, somos pessoas do bem, porém decepcionadas, sofridas, e exaustas. Bjssss

  53. Te entendo, Sandra, e levanto a bandeira da paz. :-) Sobre os filhos do Bento, se é que um dia ele terá algum: jamais seriam vendidos. Só pra esclarecer a maneira como eu penso e a gente virar essa página: tive um casal de cocker spaniel, que deu duas crias. Todos os 12 filhotes foram dados a amigos, depois da certeza de que seriam muito bem cuidados. E assim viveram muito, muito felizes. Bjo. MK

  54. Adorei a chinelada da Fernanda.

    Realmente, é por essas e por outras que reclamamos tanto do ensino do Brasil. Fala-se A, entende-se B e saem gritando C como se fosse de tua responsabilidade a compreensão deles.

    Nem esquenta com isso. Com raça ou sem raça, o que importa é o amor que é dado a eles.

  55. Mariana Obrigada pela resposta. De ti não imaginei outra coisa (ficar com todos os netos heheh) mas é que a gente não sabe (ou sabia) a opinião dos sogros do Bento né? Espero mesmo que esses stress tenha ficado no dia de ontem…. bjs

  56. Com esse debate todo resolvi dar minha opinião a respeito, bem simples e “grossa”:
    A vontade de ter um bichinho é minha, o dinheiro para comprá-lo é meu, quem vai amar, cuidar sou eu… assim, faço o que EU achar melhor!
    Tenho uma lhasa, a Amy,comprada PORQUE EU QUIS, simples assim. Adoro bichinhos, TODOS ELES mas optei por ter ESSE. Se cada um agisse assim, não teríamos problemas com animais abandonados, é uma questão de responsabilidade.Ajudo como posso as instituições nas quais acredito e essa é a minha parte, FIM.
    Não se sinta obrigada a dar explicações do porquê quis ter um bichinho de raça, ou cruzá-lo ou por não ser “embaixadora” da adoção de animais, cada um faz o que pode, da maneira que pode.
    Podes fazer uma campanha “pela vida”, CADA UM CUIDA DA SUA!!!
    Beijo p/ vc e p/ Bentinho!!!

  57. Pois é…

    Não sei se tu lembras que eu comentei meses atrás que eu não teria um blog porque a quantidade de gente que lê e entende o quer (ou não entende) ou quer trolar, ou quer patrulhar, é imensa. E, ao contrário do disseram aqui, não é tão minoria assim.

    Well, já comentei que não há nada de errado em querermos que nossa família pet se desenvolva tal qual a nossa, afinal, os pets que amamos são parte da família e, como tu bem lembraste, eles não irão viver eternamente… Este era o assunto do post

    Tb já comentei que sim, seria interessante o uso público de vcs dois em campanhas de adoção, mas lembrei que, pelo fato de seres jornalista, tu já tens um compromisso social inerente à profissão e blablablá. Este foi tema de alguns comentários e comentei em cima.

    Quantos aos protetores dos animais….

    Minha irmã trabalha em um determinado órgão público de que trata do assunto. Então, conheço o pessoal que lida com isto muito bem.

    Olha, o trabalho deles é insano, de uma dedicação à toda prova, envolvendo inclusive um grande dispêndio de dinheiro próprio, tempo e mesmo da vida pessoal, que, em alguns casos, se torna caótica para estas pessoas abnegadas em favor dos animais abandonados. Considerá-los todos como “gente chata” é um tanto injusto.

    Agora, existe, UM PORÉM, como tudo na vida e dos grandes.

    Quem defende os animais, ATÉ POR IDEOLOGIA, acaba, infelizmente, fazendo “campanha” 24 h por dia. Então, vira sim, uma chatice. A internet e, principalmente, as redes sociais, possibilitam que não apenas os defensores de plantão, mas qualquer pessoa ligada a qualquer causa de forma xiita exerça um patrulhamento dos mais malas. Aliás, até partidos políticos e grupos religiosos fazem isto. Então, a internet vira um deus-nos-acuda mesmo.

    O pessoal que tem na defesa dos animais sua principal ideologia é intransigente (e isto, infelizmente, afasta as pessoas comuns que gostam e amam todos os seres vivos mas desistem de participar de ações mais organizadas pois percebem que se vc não pensa exatamente igual a eles vc só será criticado e o seu trabalho pode até ser menosprezado. Sei do que falo. Faz parte da “ideologia” dominante destes grupos não comprar animais (e isto envolve na recusa por distinção entre preferência por raças, ou seja, para eles, é errado que vc compre um poodle para fazer companhia para sua vó doente, eles querem que vc adote, nem que seja um rotweiller abandonado para “presentear” a velha). Existe uma visão muito limitada e, principalmente, FORMATADA, de que todo o humano é mau em essência e que todo o animal é bom por natureza. Se um rotweiller ataca um idoso ou uma criança, é por culpa de um humano. Quase verdade. Só que não existem verdades absolutas no mundo. Muitos tornam-se veganos (não vegetarianos, que eles consideram uma “enganação”, veganos e dos mais intransigentes…) Acaba que o pessoal acaba se excluindo do convívio das outras pessoas. Com a internet e as redes sociais, eles formam comunidades e se relacionam entrem si. Óbvio que isso gera alienação.

    Quando a pessoa se torna alienada e ideologizada, não consegue (ou NÃO QUER) entender certas coisas. Não haverá argumento que possa convencê-los que vc quer ter um “descendente” de seu pet querido. Quando as pessoas têm VERDADES absolutas em seus corações, não há conversa ou discussão que as demova.

    Claro que nem todos são assim, mas um número cada vez mais crescente o é. E estou escrevendo com conhecimento de causa como o pessoal passa de simples defensores a militantes radicais.

    Repito: o trabalho deles é de doação completa, quase insana. Alguns se tornam radicais. A estes, a gente pode responder com educação. Mas não adianta muitas discussões ou argumentações. Então, pessoal, antes de chamarem a todos de “gente chata”, tentem entender os motivos e os processos que levaram estas pessoas a serem assim. É um pessoal do bem, só que é radical. E radicalismo não leva a nada, nunca, todos sabemos.

    Então, Mari, respira e conta até 135.769.450 e verás que passa. Não adianta ficar triste. E tenha em mente que este é um processo fruto da internet. Quem tem blog ou simplesmente é jornalista corre SEMPRE o risco de ser mal-interpretado nos dias atuais, com a instantaneidade da web e a patrulha das redes sociais. Eu, sei, tu só tava escrevendo sobre teu adorado Bento e aconteceu isso. Se tu tivesses um blog de política, tu verias o horror que seria. Mas se tu resolve largar tudo e só escrever sobre cinema, por exemplo, aconteceria a mesma coisa.

    A internet é muito boa. Mas reforçou a patrulha de quem quer que seja. É o preço que pegamos por estarmos todos conectados. Tente não se chatear muito, porque haverá muitas e muitas vezes mais em que tu vais escrever A e o pessoal vai entender B, C, D… TODOS, no momento em que nos expressamos publicamente, podemos e quase certamente, seremos alvo de alguma crítica (muitas bem duras e injustas). Respira fundo e manda ver aqueles brigadeiros de Itu!

    E continua com teu belo trabalho!

    Abraços!

  58. Mari, a patrulha do politicamente correto é o pior efeito da globalização, ou o pior do que quer que seja! Não dá para levar tão a sério, porque senão a pessoa enlouquece. Acho que há uns três anos, minha mãe (que tem problemas de saúde) perdeu nosso cachorro na Redenção. Ele ficou desaparecido por 3 meses, enquanto ela adoecia mais ainda de culpa e saudade. Quando eu consegui localizá-lo, por pura sorte, ele já tinha passado por vários donos e sido castrado. A menina que o “resgatou” tentou me cobrar mais de mil reais, apesar do meu amigo não ter ficado com ela… veja bem… passou por vários donos… como já era um cão maduro, a cirurgia lhe causou um trauma horrível e mudou seu temperamento para sempre. Desde então, tenho o maior pé atrás com as cuidadoras. Acredito que a maioria seja composta por pessoas bem intencionadas, mas como em qualquer ocupação, tem gente problemática e mal intencionada.

  59. Mas se um dia tiveres um blog João Inácio, posta aqui. Sempre leio teus comentários. E escreves muito bem. Blog com conteúdo é sempre bem vindo.

  60. Mariana! Tem gente que adora complicar… Conseguem fazer isso até com os nossos sentimentos mais puros. Tenho um sobrinho cão faz 5 meses. Na minha familia não há crianças. Ele rapidamente transformou-se em um membro da família. Todos nós – meus pais e meus irmãos – estamos encantados com a experiência. Logo, entendo perfeitamente tua relaçao com o Bento. Adoro o que escreves. Bjs. Cris

  61. Mari! Tu és uma fofa! Nao fica chateada nao!quando falamos disso é apenas para incentivar a adoção de animais abandonados! E uma pessoa legal como tu sempre é um bom reforço! O que me espanta são os teus leitores que querem concordar com o que tu escreves e colocam os pés pelas mãos! Falam coisas que tenho CERTEZA ABSOLUTA que tu não concordas… Esses sim são chatos! Adoramos vcs! Bjoss

  62. Oi Mari! Adoro seu blog, acho que temos várias coisas em comum como por exemplo fazermos niver no mesmo dia e amarmos os cachorros! Li este post e fiquei muito chateada.. pois bem, ontem perdi meu grande companheiro de 12 anos e confesso que não está sendo nada fácil, uma dor terrível que nem sei como explicar… O Thomaz (vulgo Bê de Bebê) tbm nunca tinha namorado (agora me pergunto, será que eu era uma mãe ciumenta tbm?) e hoje tenho a certeza que se eu tivesse um pedacinho dele comigo, um filinho dele essa dor seria um pouco mais suportável… então deixa o Bento namorar (mas toma cuidado com o coração, pq as emoções serão fortes!) mas pega uma cria dele! eu sei que serão duas criaturas pedindo para passear, para comer dos sírios, para ir na varanda do puppi, para tentar comer os brigadeiros entre outros aprontes mas tenho convicção que trará muitas felicidades para a futura vovó! Um beijo, sempre que ver o Bento no blog vou lembrar do meu amado, eterno, inigualável Bê!

  63. Mariana, continua sendo tu mesma, falando o que queres dizer. Por isso te admiro muito e amo te ler. Tu és do bem, logo não pode fazer mal a ninguém. Dizes o que eu gostaria de dizer muitas vezes. Te adoro. Continua sendo tu. Bjs

  64. Não sei o que é mais chato, se os protetores de animais, que querem q todos amem vira-latas e cães de raça do mesmo jeito ou os fãs puxa-saco, mas estes fazem aquele trabalhinho bom no ego… rsrsr

    Todo mundo tem direito a ter um “netinho” de um cãozinho amado”

    Gente, é claro q cachorro de raça é mais bonito e todo mundo quer! Pode cruzar a vontade, enquanto for filhote, vai ter fila de gente querendo! Muitos acabam neuróticos e sozinhos presos em apartamentos e qd deixam de ser filhotes fofinhos vão pro pátio e se bobear, vão prá “casa da empregada” ou prá rua mesmo, mas é difícil, pq valem uma graninha… rsrs

    Agora, sobre o chocolate, a ignorância mata, viu? Já q sabem postar em blog, podem pesquisar, garotas:

    http://www.tudosobrecachorros.com.br/2012/02/alimentos-toxicos-para-caes.html

    Eu tb dava lambidinhas… até q descobri q pode ser fatal! (Acho q o meio amargo q é pior!)
    Beijos e tu é super cool Mariana, com ou sem cachorro

Comentar

Seu endereço de email não será publicado

Utilize as tags HTML : <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Facebook

InstagramInstagram did not return a 200.