Calendário Pirelli 2017 inova ao trazer a “beleza real e sem manipulação” de 14 atrizes

Um calendário que notabilizou-se mundialmente por estampar em suas folhinhas imagens de mulheres sexy, nuas e perfeitas muda cada vez mais de direção. Fotografada por Peter Lindbergh, a edição 2017 do Calendário Pirelli apresentada esta semana traz imagens de 14 atrizes famosas – sem nenhum retoque. Jessica Chastain, Penelope Cruz, Nicole Kidman, Rooney Mara, Helen Mirren, Julianne Moore, Lupita Nyong’o, Charlotte Rampling, Lea Seydoux, Uma Thurman, Alicia Vikander, Kate Winslet, Robin Wright, Zhang Ziyi e a professora de Teoria Política da Universidade de Moscovo Anastasia Ignatova fazem parte do time em fotos em preto e branco e sem nenhum tratamento de imagem.

Behind The Scenes - Pirelli The Cal 2017 by Peter LindberghPENELOPE CRUZ EM FOTO DE MAKING OF: BELEZA SEM RETOQUES

Disse Lindbergh ao defender sua escolha:

– Este é o propósito: dizer que não aceito aquela imagem de beleza que foi criada por interesses comerciais e lembrar o que a beleza realmente é. Na época em que as mulheres são representadas na mídia, em todos os outros aspectos, como embaixadores da perfeição e da juventude, pensei que era importante lembrar a todos que há uma beleza diferente, mais real e verdadeira, e não manipulada. Isso é importante, não? Beleza que fala sobre individualidade, coragem para ser você mesmo, e sua própria sensibilidade. Essa é a minha definição de mulher hoje. Esse é o objetivo do calendário, mostrar a mulher e não a versão esticada e manipulada.

pirelli_nicoleNICOLE KIDMAN EM UMA DAS FOLHINHAS DE 2017
Sensualidade e moda substituídas por um protesto: “Vamos libertar as mulheres e as pessoas do terror que é a imposição da perfeição”, brada Lindbergh

O calendário do ano passado já havia ensaiado um giro nesta direção da beleza mais real, quando personalidades como a tenista Serena Williams tiraram a roupa para mostrar que ser sexy está mais relacionado com o êxito e o poder feminino do que necessariamente com um corpo perfeito.

Espia só as imagens divulgadas esta semana do Calendário Pirelli 2017.

pirelli_julianeJULIANNE MOORE

pirelli_robinwrightROBIN WRIGHT

pirelli_umaUMA THURMAN

Quer dar uma espiada no making of? Aperta o play!

Compartilhar
Mari Kalil

Mari Kalil

Jornalista e escritora, Mariana Kalil é diretora de conteúdo do site MK e colunista do programa Band Mulher e da rádio Band News FM. É também autora dos livros "Peregrina de Araque (2011), "Vida Peregrina (2013) e "Tudo tem uma Primeira Vez" (2015), todos publicados pela editora Dublinense. Trabalhou das redações das revistas Época e IstoÉ Gente, dos jornais Zero Hora, O Estado de S.Paulo e Jornal do Brasil e foi correspondente da BBC na Espanha, onde cursou pós-graduação em roteiro, edição e direção de cinema na Escuela Superior de Imagen y Diseño de Barcelona.

2 Comentários
  1. Estou tão feliz nos meus 60! Cada ano a mais aumenta o volume do meu amor pela vida. A Alegria não precisa envelhecer. É isto que pode tornar um alguém obsoleto a si mesmo: a incapacidade de gerar alegria para si, para os espaços, os não espaços e os entremeios. Saúde!!!

Comentar

Seu endereço de email não será publicado

Utilize as tags HTML : <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Facebook

Instagram
  • Muito havia ouvido falar de que filhos de nossas irmãs são nossos filhos também. Mas a teoria sempre só faz sentido quando a realidade se confirma. Quando João Benício nasceu, me tornei tia – e ser tia é o maior presente que um irmão e uma irmã podem nos dar. Ser tia é descobrir a maternidade de outra forma, é descobrir um amor que não sabíamos que existia. Quando me tornei tia, passei a enxergar as crianças sob outra ótica, com mais ternura e paciência. Passei a entender também a falta de paciência das mães em muitos momentos. Quando me tornei tia, passei a sentir mais saudade, passei a beijar e a abraçar mais. Passei a me preocupar mais com a humanidade, com o futuro, com o legado das pessoas e das coisas. Quando João nasceu, me tornei um ser humano melhor. Ser tia é amar profundamente uma pessoa que parece ter saído de dentro de nós. É encontrar tempo onde antes só havia falta de tempo. É segurar no colo, é não sentir dor no braço, é aguentar sem reclamar a dor nas costas. É deixar a garrafa de vinho e o Netflix de lado numa sexta-feira à noite para deitar ao lado de quem insiste em se manter acordado. Tias também são mães, são capazes de amar como mães. Tias são a segurança das mães de que, em qualquer ausência delas, amor é o que jamais faltará. Porto Alegre, agosto de 2015. #joãobenicio #amordatia #amordadinda
  • Gula é o desejo insaciável, além do necessário, em geral por comida, bebida. Pecado capital, viu Gorda?
  • Abdominal, substantivo masculino. Preguiça, substantivo feminino. #chico #gorda
  • Observe os seus pensamentos, eles se transformam em palavras. Observe suas palavras, elas se transformam em ações. Observe suas ações, elas viram seus hábitos. Observe seus hábitos, pois eles se transformam em seu caráter. Observe seu caráter, pois ele se torna o seu destino. 🙌🏻♥️🙏🏻 Lao Tzu, filósofo e escritor da Antiga China, fundador do taoismo filosófico e religioso.
  • “Nunca estou mais acompanhado do que quando estou sozinho.” Carlos Drummond de Andrade. 🙌🏻
  • Durante anos e anos e anos que somam mais de uma década, essa foi nossa história: de aeroportos em aeroportos, nos mudamos 12 vezes de casa. Cruzamos estados, fronteiras, oceanos. Como escreveu Machado de Assis, “felizes os cães, que pelo faro descobrem os amigos”. Feliz de mim, que pelo faro também te descobri, Bentolino. E lá se vão 18 anos de jornada. 🙌🏻🐶♥️ Rio de Janeiro, 2012. #tbt #bento #xerife #companheirodejornada