Quando as lembranças se misturam e nenhuma leva a lugar algum

Não suporto o calor que faz lá fora e me dá arrepios de pensar que o verão ainda nem começou. É engraçado como a gente nasce e cresce com alguns conceitos pré-determinados e só quando amadurece começa a se dar conta do que é que exatamente nos pertence e não pertence. Por exemplo: só fui me dar conta de que não gosto de verão depois de velha. Não é que não goste do verão em si. O que não suporto é passar calor.

mulher-doidissima5-594x4992NÃO SUPORTO SUOR ESCORRENDO DENTRO DO SUTIÃ

Como minha mãe AMA sol, AMA torrar no sol, AMA praia e tudo o que derive de tudo isso, eu cresci indo à praia e torrando no sol. Mas algo lá no fundo me incomodava. Muito. Só que não sabia o que era. Com o tempo, percebi que nada disso me deixava muito à vontade. Sempre preferi um filmezinho na TV e um ar condicionado.

A lagartixa intrusa, Pablo Escobar e outras histórias

Outra coisa que sempre amei desde que era criança e adoro até hoje é assistir a concursos de Miss. Na época em que o Silvio Santos apresentava, e eu tinha lá meus 10, 12 anos, me encerrava no salão de jogos lá da casa dos meus pais e aquele era o meu programão de domingo de tarde. Fazia minha bolsa de apostas particular. A maior coincidência é que todo domingo de concurso de miss fazia um calor desgraçado – e mamãe abria a porta do salão e me mandava para o pátio.

mulher-doidissima5-594x4991AAAAHHHHH, MAMÃE..

– Sai agora da frente dessa televisão, Mariana – dizia ela, desligando a televisão.
– Mas não gosto de piscina, mãe – eu resmungava.
– Não precisa entrar na piscina, mas vai pegar um sol e brincar no pátio. Está um dia lindo e tu encerrada nessa sala escura. Vamos, anda!
Então, meus ombros caíam e eu saía com cara de emburrada arrastando os pés.
– Caminha direito e pode desmanchar essa cara de peru embuchado! – ela determinava.

angry-woman-1-748x499CARA DE PERU EMBUCHADO

Lembrei de toda essa história porque, agora há pouco, desci com o xerife e sua soldada até a frente do prédio para aliviarem o joelho e quase morri asfixiada de calor. Daí vim pensando em como eu odeio o calor, daí almocei uma berinjela sem gosto pensando em como vou me virar agora no verão, daí lembrei que eu incho ainda mais no calor, daí pensei que eu estava a fim de ir até o Platinum Outlet para comprar alguns cáftans para ir à praia, daí pensei que cáftans são sempre uma alternativa elegante para quem não gosta de usar biquíni e não gosta de ir à praia feito eu.

Fasano Las Piedras, um jantar em cenário de sonho

Daí lembrei que deixei todos meus maiôs no apartamento de Punta del Este, daí lembrei que não vou precisar deles mesmo, daí lembrei que ontem vi a nova Miss Brasil (uma gaúcha, por sinal) desfilando de maiô, daí lembrei que essa foi a última cena que eu vi antes de cair em sono profundo e daí a miss gaúcha de maiô me lembrou dos tempos em que eu brigava com a mãe para assistir aos concursos de miss e era chamada de peru embuchado.

woman-with-shame-262x400EU ACHO QUE NÃO ESTOU BEM

bento1125ELA ACHA

Daí eu li em algum lugar que o sapato bicolor da Chanel é a nova obsessão das fashionistas. “Depois de uma profusão de it bags grifadas, chegou a vez de as fashionistas elegerem um sapato como a peça-desejo da estação, o cap toe slingback da Chanel. Tornou-se protagonista do street style nos pés das blogueiras e editoras de moda”.

heelMUITO PRAZER, SOU O CAP TOE SLINGBACK

Daí fiquei pensando o que essa notícia tem de relevante para minha vida; daí cheguei à conclusão que nada, daí imaginei todas as blogueiras e fashionistas fazendo fila para comprar o tal cap toe para sentirem-se parte integrante da turma de blogueiras e fashionistas. Daí me deu um pouco de cansaço e sono. Daí fui fazer um café e daí acabo de tomar o meu café.

Woman-confused3E DAÍ, MARIANA?

Woman-Asking-Question-20-749x499DAÍ QUE NADA!!

mana-818309470711_736403564_n-499x499NOSSA SENHORA

bento1125QUANDO EU DIGO QUE ESSE BLOG É UM DESSERVIÇO, ELA BRIGA COMIGO

Compartilhar
Mari Kalil

Mari Kalil

Sou escritora, jornalista, colunista da Band TV e Band News FM e autora dos livros "Peregrina de araque", "Vida peregrina" e "Tudo tem uma primeira vez". Sou gaúcha, nasci em Porto Alegre, vivo em Porto Alegre, mas com os olhos voltados para o mundo. Já morei em São Paulo, no Rio de Janeiro e em Barcelona. Já fui repórter, editora, colunista. Trabalhei nos jornais Zero Hora, O Estado de S.Paulo e Jornal do Brasil; nas revistas Época e IstoÉ e fui correspondente da BBC na Espanha, onde cursei pós-graduação em roteiro, edição e direção de cinema na Escuela Superior de Imagen y Diseño de Barcelona. O blog Mari Kalil Por Aí é direcionado a todas as mulheres que, como eu, querem descomplicar a vida e ficar por dentro de tudo aquilo que possa trazer bem-estar, felicidade e paz interior. É para se divertir, para entender de moda, de beleza, para conhecer lugares, deliciar-se com boa gastronomia, mas, acima de tudo, para valorizar as pequenas grandes coisas que estão disponíveis ao redor: as coisas simples e boas.

2 Comentários
  1. Mariana, lendo a descrição de tua relação com Sol e calor, parecia que estava lendo a minha. Nunca gostei de torrar no Sol, sempre detestei o verão. Minha mãe, como a tua, AMAVA Sol, praia e eu só queria era ficar lendo um livro ou revista, quieta no quarto. Era pegar um livro e lá vinha ela: – Vai tomar um sol. Olha a brancura que tu estás!!! E lá ia eu, e o pouco que ficasse no sol, já era queimadura na certa!!! O resultado disso? Centenas que cânceres basocelulares ao longo de minha vida, a partir dos 33 anos.
    Minha conclusão particular sobre isso: A natureza sabe das coisas, se não me sentia bem no sol, é porque isso não era pra mim, mesmo!!! Beijo em ti, no Bento, na Mana e na Oli!

Comentar

Seu endereço de email não será publicado

Utilize as tags HTML : <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Facebook

Instagram
  • Penteados e escovados para a primeira de muitas noites de autógrafos de Vida Peregrina, que me levaria à lista dos livros mais vendidos do país e confirmaria Bentolino como um dos personagens mais importantes da minha existência como escritora. Seis anos hoje. Saudade, Xerife. ❤️🐶📘 #tbt #2013 #vidaperegrina #livromarikalil
  • Éramos uma família de bageenses morando no Rio e nossa família multiplicava-se com mais bageenses que chegavam no Carnaval. Tudo começava ao cair do sol com um primeiro chope para brindar a união e terminava com corpos ao mar pra curar o ressacão. Lembrança do nosso primeiro bailinho em que eu me retorci para entrar em uma fantasia de odalisca tamanho 14 comprada em uma loja infantil de Ipanema. É que ainda estava borracha da noite anterior. Borrachos entendem. 🍺
Casa da @renatabrasilvidal e do @marcelogoskes; Rio de Janeiro, Carnaval 2006. #tbt
  • Ter o privilégio de passar horas e horas conhecendo muitas das minhas perseguidoras faz a gente mais feliz. Ser recebida com carinho pelo @centrocarinaborges, que abriu suas portas para este momento tão especial de beleza e amizade faz a gente mais feliz. Poder oferecer a excelência dos produtos da @farmathuia para as amigas da Mari faz a gente mais feliz. Servir os melhores quitutes fit da @feeljoy.com.br e a delícia do capuccino proteico do @mundoverdeiguatemipoa faz a gente mais feliz. Rodopiar com um vestido de seda floral da @boutiquemariahelena capaz de traduzir com maestria meu estado de espírito faz a gente mais feliz. Felicidade é encontrar alegria na alegria dos outros; felicidade é a certeza de que a nossa vida não está se passando inutilmente. Obrigada a todas que hoje fizeram meu dia muito, muito mais feliz! ✨🙏🏻❤️
  • Quem nunca aplicou uma dessas?! 👆🏻
  • Me diga se pode existir desgraceira maior do que chegar ao vestiário de natação molhada em cima de um par de chinelos molhados, com o cabelo todo desgrenhado, com o rosto todo marcado dos óculos e ainda ter que pegar a sacola, botar a sacola em cima de um banco, abrir a sacola, retirar os saquinhos plásticos para guardar o maiô encharcado junto com a touca e o óculos, pegar a nécessaire, sair equilibrando toalha, xampu, sabonete e condicionador até o box, sempre pisando naquele chinelo nojento molhado, tomar banho na companhia de fios de cabelos de terceiros, recolher sabonete, condicionador e xampu, secar um por um com a toalha, se enrolar na tolha, voltar pingando até o armário em cima daquele chinelo nojento molhado, abrir o armário, abrir a sacola, guardar o xampu, o condicionador e o sabonete dentro da nécessaire, retirar o pente, desembaraçar o cabelo cuidando para não deixar fios caírem no chão, passar hidratante na volta dos olhos, sérum facial, creme com proteção solar, hidratante corporal, vestir a roupa toda amassada dentro da sacola, sentar no banco com o pé ainda molhado em cima daquele chinelo nojento com fio de cabelo de terceiros grudados na sola, secar dedinho por dedinho, colocar o sapato, secar o chinelo, ensacar o chinelo e terminar a maratona botando os bofes para fora do calorão que sai daquela quantidade de chuveiros quentes e secadores ligados. 
Me diga: pode existir desgraceira maior?!
  • Tenha coragem para as grandes adversidades da vida e paciência para as pequenas, e quando tiver cumprido laboriosamente sua tarefa diária vá dormir em paz. Deus está acordado. (Victor Hugo).