Salto alto tem menos vez

Sou suspeita para enaltecer esse novo lifestyle que apoderou-se da moda: o pé no chão. Sempre fui fã de sapatilhas, rasteirinhas. Não acho que um salto 15 traga a elegância a reboque – pelo contrário. Uma mulher que sobe nas alturas e não sabe caminhar é a verdadeira visão do inferno.

Pois a nova “cartilha cool” alardeada pelo povo da moda, os sapatos de modelo “pé no chão”, encontra eco no fundo do meu espírito e mais ainda na justificativa de Costanza Pascolato para essa febre de sapatos sem salto.

Fala, Costanza!

Costanza-Pascolato-H.Stern-Fluid-Gold-necklace-2“Olha, Mariana, é uma mudança muito mais de atitude do que de estilo. A superexposição causada pela internet abriu espaço para uma nova postura que vai na contramão do show off. Nela, o básico é extraordinário, e o dressing down é a maneira verdadeiramente cool de sair por aí”

Dado este elucubrado veredito, venho por meio desta mostrar o que desfila nos meus pezinhos neste exato momento de quinta-feira de chuva.

Olha!

fotoMELISSA ESTILO TÊNIS COM CARA DE TIGRE!
Ela é de camurça preta; o solado é branco de plástico

Plásticos estão de volta em modelos flats e não sou eu que estou dizendo – é o povo da moda que produziu. Não, não estou usando minha Melissa porque o povo da moda mandou ou produziu, mas porque combina comigo e porque gosto dela.

Quero dizer com isso, cara leitora, que se você não quer descer do seu salto, não desça só porque o povo da moda resolveu inventar isso ou aquilo.

valesca_popozuda_2PUXA, OBRIGADA, MARIANA

httpwpclicrbscombrporaifiles201307bebe-beijogifDE NADA, VALESCA

Da nova rainha das sandálias divertidas Sophia Webster à mais dark entre as grifes de vanguarda Givenchy, nomes de peso mostram que o plástico colorido pode ser combinado a terninhos minimalistas.

Olha!

img-thingSOPHIA WEBSTER
Usaria feliz da vida!

shoesGIVENCHY
Me sentiria um E.T.

givenchy-flat-tie-up-plastic-shoeMAIS GIVENCHY
Bem mais a minha cara!

magdaJASON WU PARA MELISSA
Teria que me acostumar com a proposta para só depois pensar se usaria…
Fico na dúvida.

Outra novidade pé no chão: o chinelão com duas tiras grossas de couro entrelaçadas, típico uniforme de avô, está de volta como mania fast-fashion e aval da H&M.

Olha!

flats2GOSTAM?

bento1RESPONDE EM VEZ DE PERGUNTAR

mulher-de-boca-abertaVOU ALMOÇAR ENQUANTO PENSO

bento1ADORA GANHAR TEMPO

Compartilhar
Sem comentários ainda.
  1. Mari,
    Independente de tendência, já faz tempo que mantenho meus pés no chão! Salto só para festas. 😉
    É libertador você poder”zanzar” por aí com conforto, sem ser escrava do sapato. Beijos!

  2. Oi, Mariana! sou adepta do salto, mas também adoro um tênis, uma rasteirinha…para trabalhar é muito mais confortável, principalmente no verão. mas enfim eu uso o que me faz sentir bem, sem muitos modismos.

  3. Olha uma época meio metida da minha vida, não descia do salto, pra lá e pra cá, estraguei meus dedinhos com calos mas achava que tinha que andar no salto….depois mudei de trabalho e com isso uma nova percepção…agora sou fã de sapatinhas, tênis desses mais casuais, digamos, enfim, adoroooo..nada como se sentir bem e estar confortável, e ainda bem arrumada 🙂

  4. Oi Mariana. Sou muito tua fã. Admiro tua personalidade , blogueira, antenada mas jamais abandonas as tuas origens gaudérias…personalidade e estilo não te faltam. Me diz onde posso comprar esta linda melissa com cara de tigre . bjs

Comentar

Seu endereço de email não será publicado

Utilize as tags HTML : <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Facebook

Instagram
  • Muito havia ouvido falar de que filhos de nossas irmãs são nossos filhos também. Mas a teoria sempre só faz sentido quando a realidade se confirma. Quando João Benício nasceu, me tornei tia – e ser tia é o maior presente que um irmão e uma irmã podem nos dar. Ser tia é descobrir a maternidade de outra forma, é descobrir um amor que não sabíamos que existia. Quando me tornei tia, passei a enxergar as crianças sob outra ótica, com mais ternura e paciência. Passei a entender também a falta de paciência das mães em muitos momentos. Quando me tornei tia, passei a sentir mais saudade, passei a beijar e a abraçar mais. Passei a me preocupar mais com a humanidade, com o futuro, com o legado das pessoas e das coisas. Quando João nasceu, me tornei um ser humano melhor. Ser tia é amar profundamente uma pessoa que parece ter saído de dentro de nós. É encontrar tempo onde antes só havia falta de tempo. É segurar no colo, é não sentir dor no braço, é aguentar sem reclamar a dor nas costas. É deixar a garrafa de vinho e o Netflix de lado numa sexta-feira à noite para deitar ao lado de quem insiste em se manter acordado. Tias também são mães, são capazes de amar como mães. Tias são a segurança das mães de que, em qualquer ausência delas, amor é o que jamais faltará. Porto Alegre, agosto de 2015. #joãobenicio #amordatia #amordadinda
  • Gula é o desejo insaciável, além do necessário, em geral por comida, bebida. Pecado capital, viu Gorda?
  • Abdominal, substantivo masculino. Preguiça, substantivo feminino. #chico #gorda
  • Observe os seus pensamentos, eles se transformam em palavras. Observe suas palavras, elas se transformam em ações. Observe suas ações, elas viram seus hábitos. Observe seus hábitos, pois eles se transformam em seu caráter. Observe seu caráter, pois ele se torna o seu destino. 🙌🏻♥️🙏🏻 Lao Tzu, filósofo e escritor da Antiga China, fundador do taoismo filosófico e religioso.
  • “Nunca estou mais acompanhado do que quando estou sozinho.” Carlos Drummond de Andrade. 🙌🏻
  • Durante anos e anos e anos que somam mais de uma década, essa foi nossa história: de aeroportos em aeroportos, nos mudamos 12 vezes de casa. Cruzamos estados, fronteiras, oceanos. Como escreveu Machado de Assis, “felizes os cães, que pelo faro descobrem os amigos”. Feliz de mim, que pelo faro também te descobri, Bentolino. E lá se vão 18 anos de jornada. 🙌🏻🐶♥️ Rio de Janeiro, 2012. #tbt #bento #xerife #companheirodejornada