Um dia muito especial

Sábado da ouuuutra semana, resolvemos fazer um passeio na Redenção. Por volta de meio dia e pouco, desembarcamos – Bento, Chico e eu – em plena Feira Ecológica, que se realiza nas manhãs de sábado até às 13h.

Esta foto é do site dos Destemperados, eu amo os Destemperados e se quiserem saber mais sobre a feira cliquem neste link dos Destemperados.

Eu não sou sócia dos Destemperados.
Apenas admiro muito o trabalho deles

E “furto” fotos!

Como estava contando, no sábado da ouuuuuutra semana desembarcamos na Redenção para um passeio que não incluía a Feira Ecológica, visto que o Bento seria pisoteado. A ideia era caminhar por entre a sombra das árvores.

FOI PRATICAMENTE UM CAOS

Fiquei absurdamente impressionada com a quantidade de mendigos dormindo envelopados em sacos de lixo pelas sombras do parque e também com a quantidade de pessoas com sérios problemas mentais que deveriam estar recolhidas em algum abrigo, ou hospital psiquiátrico, ou recebendo qualquer tipo de ajuda.

A visita à Redenção deixou imediatamente de ser um passeio prazeroso.

Transformou-se em um filme de terror

Um rapaz que deveria ter uns 20 e poucos anos, aparentemente esquizofrênico, caminhava com uma mochila nas costas, de um lado a outro, falando sozinho, às vezes baixinho, às vezes berrando. Dava tapas e mais tapas na própria orelha, puxava o próprio cabelo. Uma senhora bem vestida gritava toda sorte de palavrões, levantava a roupa, dizia horrores. Muitas pessoas riam.

HÃ??!!
RIAM, MARIANA??!!

Riam.
Riam da desgraça da pobre senhora com problemas mentais à deriva pela cidade.
O passeio que era para restaurar energias acabou se tornando um Deus nos acuda. Neste último sábado, resolvemos experimentar outro destino, o Parque Marinha do Brasil.

Durante mais de uma hora, caminhamos por este linnnndo corredor de árvores

Estava bem vazio e estava bem fresquinho por causa das sombras. Foi um dos melhores passeios desse tipo que já fiz em Porto Alegre. Mas devo confessar que não me atrevo a ir sozinha. Não aconteceu nada. Mas, se acontecer, não há para quem pedir ajuda. Não há qualquer policiamento, vigilância, nada.

E EU?
NÃO CONTO?

Me privo de comentar, Bento.
Passada uma hora e tanto de passeio, minha sogra ligou perguntando onde estávamos. Queria nos convidar para almoçar, já estava sentada na Cantina do Toco, na Zona Sul.

A entrada da cantina

– Pede para ela perguntar ao garçom se podemos levar o Bento – falei para o Chico (absolutamente desesperançosa).
– Aceita cachorro? Aceita!!! Estamos indo para aí – disse o Chico.

EU FIQUEI MUITO FELIZ!

Aceita cachorro nas mesinhas da rua, na frente da cantina claro. Como eu amo sentar na rua (a menos que o calor esteja insuportável), me acomodei feliz da vida com a família reunida.

PEDIMOS FILÉ A PARMEGIANA!!

COM ARROZ E FRITAS!

EU AMO BIFE A PARMEGIANA COM ARROZ E FRITAS!

Olha!!!

OOOOOOOOOOOOOOOOHHHHHHHHHHHHHHH!!!!!

Meu primeiro prato!

OOOOOOOOOOOOOOOOOOOOHHHHHHHHHHHHHHHHHHH!!!!

HEIN?
SE COMEMOS TUDO?

SIIIIIMMM!!!!

Não sobrou uma colher de molho divino e maravilhoso para contar a história. Almoção regado a caipirinhas.

Iguais a essa!
OOOOOOHHHHHHH!!!!

Além da culinária italiana, a Cantina do Toco produz sua cerveja artesanal: a Chopp Terapia. A cerveja é elaborada pelo cervejeiro Toco Taffarel, que também assina os pratos e é o dono da cantina, como o próprio nome diz. São cinco tipos de cerveja produzidas artesanalmente.

Ela é produzida neste recanto, nos fundos da cantina.
Não, eu não roubei a foto. É minha mesmo, como a qualidade já demonstra

São cinco tipos de cerveja puro malte, maturadas na garrafa, não pasteurizadas e não filtradas: Golden Ale, Bitter Ale, Kolsch, Red Ale e Ipanema Blonde Ale

O passeio que começou no Parque Marinha do Brasil e fez um pit stop na Cantina do Toco tinha que terminar em grande estilo. Fomos tomar um café na Floricultura Winge. No post À Espera da Carta de Alforria, eu já tinha manifestado meu desejo de conhecer o Café & Prosa, localizado nos jardins da floricultura. Meu desejo foi finalmente atendido.

AQUI NÓS CHEGAMOS!

AQUI NÓS SENTAMOS!

AQUI NÓS DEVORAMOS!

POR AQUI NÓS PASSEAMOS NO LINDO SÁBADO DE SOL!

EU ADOREI!
SOBRETUDO O FILÉ A PARMEGIANA DO TOCO!

Bento voltou para casa exausto. Se atirou na cama e pediu para não ser incomodado. Eu e Chico aproveitamos e resolvemos ir ao cinema assistir Django Livre. Chegamos atrasados, não havia mais ingressos. Optamos por O Voo, com Denzel Washington.

ACHEI BEM BOM!

Como estávamos no Bourbon Country, na saída do cinema sugeri uma pizza do Joe & Leo’s.

EU AMO A PIZZA FININHA DO JOE & LEO’S

Mal sentamos e o Chico se viu hipnotizado por uma moça comendo um hambúrguer.
– Não quer pedir um hambúrger? – ele sugeriu.
Nada me faria retroceder na minha determinação de comer a pizza fininha do Joe & Leo’s.

EU AMO A PIZZA FININHA DO JOE & LEO’S

Para contentar ambos, escolhi a Pizza Burguer, um sabor de pizza com hamburguer.

MUITO PRAZER, SOU A PIZZA BURGUER DO JOE & LEO’S

Se é boa? É boa.
Nada é ruim no Joe & Leo’s. Mas eu não repetiria o pedido. Ficaria com a tradicional Marguerita. Como dizem por aí, uma coisa é uma coisa; outra coisa é outra coisa. Hamburguer é hamburguer; pizza é pizza.

E O DOMINGO, MARIANA?
COMO FOI?
QUAIS AS NOVIDADES?!

ESTOU TRABALHANDO

 

 

 

 

 


 

 

 

 



Compartilhar
Mari Kalil

Mari Kalil

Sou escritora, jornalista, colunista da Band TV e Band News FM e autora dos livros "Peregrina de araque", "Vida peregrina" e "Tudo tem uma primeira vez". Sou gaúcha, nasci em Porto Alegre, vivo em Porto Alegre, mas com os olhos voltados para o mundo. Já morei em São Paulo, no Rio de Janeiro e em Barcelona. Já fui repórter, editora, colunista. Trabalhei nos jornais Zero Hora, O Estado de S.Paulo e Jornal do Brasil; nas revistas Época e IstoÉ e fui correspondente da BBC na Espanha, onde cursei pós-graduação em roteiro, edição e direção de cinema na Escuela Superior de Imagen y Diseño de Barcelona. O blog Mari Kalil Por Aí é direcionado a todas as mulheres que, como eu, querem descomplicar a vida e ficar por dentro de tudo aquilo que possa trazer bem-estar, felicidade e paz interior. É para se divertir, para entender de moda, de beleza, para conhecer lugares, deliciar-se com boa gastronomia, mas, acima de tudo, para valorizar as pequenas grandes coisas que estão disponíveis ao redor: as coisas simples e boas.

14 Comentários
  1. Realmente muito triste a constatação dos doentes mentais espalhados pela Redenção. E te digo que também ja vi muitos pelo Menino Deus e no Parque Marinha, ainda bem que não encontraste nenhum!
    Quanto a pizza só tenho uma coisa a dizer: ADOOOORO Joe & Leo’s!

  2. Realmente muito triste a constatação dos doentes mentais espalhados pela Redenção. E te digo que também ja vi muitos pelo Menino Deus e no Parque Marinha, ainda bem que não encontraste nenhum!
    Quanto a pizza só tenho uma coisa a dizer: ADOOOORO Joe & Leo’s!

  3. Oi Mari,
    A Cantina do Toco realmente é excelente… outra boa pedida é o Fettuccine à Catharina!!! A combinação dos ingredientes é ótima, embora que na primeira vez que eu vi achei estranho!!! hehehehehe
    Beijos

  4. Oi Mari,
    A Cantina do Toco realmente é excelente… outra boa pedida é o Fettuccine à Catharina!!! A combinação dos ingredientes é ótima, embora que na primeira vez que eu vi achei estranho!!! hehehehehe
    Beijos

  5. Mariana, moro em Jaguarão, e adoro andar na beira do rio, a paisagem é linda, a ponte igualmente. Penso que conheces, se ainda não, vale a pena. Porém compartilho contigo o sentimento de tristeza com o descaso das autoridades em geral com o local. Há semanas há sem teto acampados, ontem estavam colocando uma segunda lona, ja tem fogo de chão e tudo… Dizem os moradores das imediações que ja contataram a prefeitura, não encontrando alguém que assuma a responsabilidade. O que nos resta é mudar o itinerário… Bjs e tudo de bom!

  6. Mariana, moro em Jaguarão, e adoro andar na beira do rio, a paisagem é linda, a ponte igualmente. Penso que conheces, se ainda não, vale a pena. Porém compartilho contigo o sentimento de tristeza com o descaso das autoridades em geral com o local. Há semanas há sem teto acampados, ontem estavam colocando uma segunda lona, ja tem fogo de chão e tudo… Dizem os moradores das imediações que ja contataram a prefeitura, não encontrando alguém que assuma a responsabilidade. O que nos resta é mudar o itinerário… Bjs e tudo de bom!

  7. Mari a Cantina do Toco é mesmo divina, o choop então, só o finzinho que fica tipo de um farelinho q não gosto muito, o Filé a Parmegiana então???não tem nem oq falar, sobre tudo sou suspeita, pois minha mãe se tornou tão amiga do Toco que agora até trabalha com ele! Então volta e meia tenho uma espécie de Deliveri da Cantina. kkkkkkk

  8. Mari a Cantina do Toco é mesmo divina, o choop então, só o finzinho que fica tipo de um farelinho q não gosto muito, o Filé a Parmegiana então???não tem nem oq falar, sobre tudo sou suspeita, pois minha mãe se tornou tão amiga do Toco que agora até trabalha com ele! Então volta e meia tenho uma espécie de Deliveri da Cantina. kkkkkkk

  9. Mariana!! Devo dizer que desde 2009 leio o Por Aí, e simpatizei muito com a sua escrita e personalidade, indiquei o blog pra amigas, e comentava ‘por aí’ o que lia ‘por aqui’. Mas foi lendo sua coluna na ZH impressa, que tive uma grata surpresa: você veraneava no Cassino! Eu moro em POA, mas nasci em Rio Grande/Cassino! Fiquei contente com a semelhança, pois cada vez mais gostava do seu trabalho, e esse fato me fez pensar, eu tinha razão em gostar dela. E agora lendo esse post, pronto, posso declarar que virei sua fã absoluta, pois frequento o Marinha, a Cantina do Toco, a Winge, o Café e Prosa, e como docinhos da Brigaderia. Ah, agora lembrei que temos uma musa em comum, Danuza, e essa coincidência também é bacana, amei quando você entrevistou ela.
    Por fim quero te deixar uma dica, já conheces a floricultura Recantos Inesquecíveis? É muito bonita e repleta de ideias bacanas! Também na Zona Sul.

    Melhoras a seu ombro e sorte no modelito para a festa! Aprecio muito o seu trabalho e te desejo vida longa e saúde.

    Com carinho, Nicole Monteiro.

  10. Mariana!! Devo dizer que desde 2009 leio o Por Aí, e simpatizei muito com a sua escrita e personalidade, indiquei o blog pra amigas, e comentava ‘por aí’ o que lia ‘por aqui’. Mas foi lendo sua coluna na ZH impressa, que tive uma grata surpresa: você veraneava no Cassino! Eu moro em POA, mas nasci em Rio Grande/Cassino! Fiquei contente com a semelhança, pois cada vez mais gostava do seu trabalho, e esse fato me fez pensar, eu tinha razão em gostar dela. E agora lendo esse post, pronto, posso declarar que virei sua fã absoluta, pois frequento o Marinha, a Cantina do Toco, a Winge, o Café e Prosa, e como docinhos da Brigaderia. Ah, agora lembrei que temos uma musa em comum, Danuza, e essa coincidência também é bacana, amei quando você entrevistou ela.
    Por fim quero te deixar uma dica, já conheces a floricultura Recantos Inesquecíveis? É muito bonita e repleta de ideias bacanas! Também na Zona Sul.

    Melhoras a seu ombro e sorte no modelito para a festa! Aprecio muito o seu trabalho e te desejo vida longa e saúde.

    Com carinho, Nicole Monteiro.

Comentar

Seu endereço de email não será publicado

Utilize as tags HTML : <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Facebook

InstagramInstagram did not return a 200.