Diário da Mari: Paciência tem limite para quem rouba a nossa energia

Há duas frases que há anos foram escritas em meu diário de citações (sim, guardo cadernos e mais cadernos recheados delas) e com as quais tenho bastante identificação (do contrário, não teria reproduzido em meu cadernos de citações).

bento1121CONCLUSÃO DAS ÓBVIAS

Woman looking crazy.CACHORRO DOS AZEDOS

Uma dessas frases é atribuída ao ex-presidente americano John Kennedy: “Sou capaz de perdoar; esquecer, jamais”. A outra é dita e repetida com aquele sotaque forte de Bagé pela Alemoa, minha amiga de décadas, cada vez que ela considera que suas amigas de décadas passam um pouco do ponto: “Tem paciência! Tudo tem limite!”, brada a Alemoa, dedo indicador em riste.

shouting-woman1OUVIRAM BEM?

desenho-professora-2TUDO TEM LIMITE

Acho esta frase de uma simplicidade e de uma sabedoria incríveis: tudo tem limite. Baderna tem limite, desgoverno tem limite, roubalheira tem limite, violência tem limite, falta de respeito, de educação e de vergonha na cara tem limite, mentira tem limite, fofoca tem limite, cirurgia plástica, dieta e botox têm limite, intolerância tem limite.

placa-de-transito-stop-35-x-35-cm-transito

Poderia preencher facilmente o restante em branco deste post apenas listando tudo o que há neste mundo e que exige doses cavalares de limite. Alguns limites deveriam advir da ação de quem elege-se para olhar por nós, como prender quem mata inocente e destrói patrimônio público. Outros limites cabem única e exclusivamente a nós. Paciência, por exemplo.

mulher-doidissima1-594x4996PACIÊNCIA TEM LIMITE

Nem eu, nem você, nem ninguém é obrigado a conviver com quem nos faz mal, com quem ofende gratuitamente. Já diz o sábio ditado popular “quem bate esquece; quem apanha não”. Nenhum ser humano está livre de causar dano ao próximo – e para isso existe o pedido de desculpas.

a woman is praying to god with hopeEXISTE O PERDÃO

tears-in-praying-istock384x28811PERDÃO SINCERO

“A vida é feita para ser vivida, não suportada”, alerta o professor Marcel Camargo, Mestre em História, Filosofia e Educação pela Unicamp (SP). “Quando nos sentimos obrigados a perdoar tudo, ignorando nossos sentimentos, ignorando feridas ainda abertas, impomos a nós mesmos uma espécie de tortura psicológica”.

alto-la1ALTO LÁ!!

Não devemos confundir gentileza com inércia ou omissão. Não somos obrigados a engolir e a conviver com quem passou por cima de nós feito uma patrola, atropelando sentimentos sem dó. Não precisamos aguentar tapinha falso nas costas nem sorrisinho amarelo nos lábios. Fingir o que não somos e aparentar que não sentimos adoece corpo e espírito. Paciência tem limite para quem rouba a nossa energia. Hoje em dia está ainda mais fácil se ver livre de gente assim.

facebok-block-unwanted-accounts-1AO ALCANCE DE UM CLIQUE

Compartilhar
Mari Kalil

Mari Kalil

Jornalista e escritora, Mariana Kalil é diretora de conteúdo do site MK e colunista do programa Band Mulher e da rádio Band News FM. É também autora dos livros "Peregrina de Araque (2011), "Vida Peregrina (2013) e "Tudo tem uma Primeira Vez" (2015), todos publicados pela editora Dublinense. Trabalhou das redações das revistas Época e IstoÉ Gente, dos jornais Zero Hora, O Estado de S.Paulo e Jornal do Brasil e foi correspondente da BBC na Espanha, onde cursou pós-graduação em roteiro, edição e direção de cinema na Escuela Superior de Imagen y Diseño de Barcelona.

1 Comentário

Comentar

Seu endereço de email não será publicado

Utilize as tags HTML : <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Facebook

Instagram
  • Para estar junto não é preciso estar perto, e sim do lado de dentro. Estaremos te esperando, Chiquinho! Repost @chico_sperotto ♥️🐶🌞
  • • KARL LAGERFELD
10.09.1933 - 19.02.2019 🖤
•”Pense rosa. Mas não use".
•”Calça de moletom é sinal de fracasso. Você perdeu o controle sobre sua própria vida e comprou um moletom".
•”Eu acho tatuagem uma coisa horrorosa. É como viver o tempo todo em um vestido Pucci".
•”Meu maior luxo é não precisar me justificar para nenhuma pessoa.”
•”Gosto que tudo seja lavável. Eu mesmo, inclusive.”
•”Personalidade começa onde a comparação termina.”
•”As melhores coisas que fiz na minha vida, as vi nos meus sonhos. É por isso que tenho um caderno de rascunhos na minha cama.”
•”O politicamente correto, a preservação. Eu acho tudo isso extremamente chato.”
•”Coco Chanel jamais teria feito o que eu fiz. Ela teria odiado.”
•”Sou uma pessoa da moda e a moda não é somente sobre roupas. É sobre todos os tipos de mudança.”
•”Eu amo estar de passagem. Nasci em um porto, em Hamburgo. Então minha mãe disse: ‘É a porta do mundo, mas não é mais do que a porta. Portanto, já pra fora!’”.
#ripkarllagerfeld
  • - Dinda, entra no mar comigo?
- A dinda não gosta de mar gelado.
- Eu queria mergulhar com a dinda.
- Então a dinda vai te dar a maior prova de amor do mundo. E tu vai lembrar pra sempre, promete?
- Prometo, dinda.
E assim foi, e a lembrança eterna será de nós dois. #joaobenicio #amordadinda
  • Ensalada de Durazno: pêssego queimado, folhas verdes, queijo de cabra, pistache, cebola roxa e um molho vinagrete indescritível. Autor: @francismallmann @restaurantegarzon 👌🏻♥️🇺🇾 Detalhes no destaque do Stories
  • Leva um tempo até a gente perceber que por trás da figura de mãe existe também uma mulher como nós. Com gostos, desejos, anseios, vontades, expectativas, decepções. Não dizem que são nas viagens que a gente conhece profundamente a essência dos amores e amigos? Pois viagens também contribuem para aproximar mães e filhas no papel de duas mulheres adultas e companheiras. Em nossas viagens, mãe e eu convivemos com nossas imperfeições e fizemos mútuas descobertas – das profundas às mais comezinhas. Ela bebe pouca água; eu vivo com uma garrafa na mão. Ela critica a minha garrafa; eu critico a falta de água no organismo dela. Ela já planeja a Páscoa do ano que vem; eu ainda nem cheguei no próximo Natal. Ela não compreende a minha falta de planos; eu não entendo a ansiedade dela. Ela pensa em voz alta; eu reflito em silêncio. Ela diz pra eu falar alguma coisa; eu suplico que ela cale a boca por cinco minutos. Ela prefere o sol do meio-dia; eu prefiro o ar-condicionado. Ela diz que estou branca feito um bicho da goiaba; eu respondo que ela está laranja feito um nacho de Doritos. Agora estamos de novo aqui, juntas, em viagem, sentadas na grama da praça de José Ignacio. Que bom, né, mãe? Que bom que a vida nos concedeu este prazo para descobrir ainda a tempo o privilégio de passearmos juntas por aí e explorar como adultas esta delicada amizade — e o que existe de melhor em cada uma de nós. ♥️ #amordemãe #amordefilha #viajecomsuamãe
  • Né?! 👌🏻