Mendoza é um dos destinos mais legais do mundo para degustar e passear

Para quem gosta de vinho, apresento a vocês um dos lugares mais legais que conheci para beber e passear: Mendoza. Visitar este pedaço da Argentina é uma experiência multifacetada, que pode ser apreciada com todos os sentidos. Mendoza está localizada no centro-oeste da Argentina, aos pés da Cordilheira dos Andes (as mais altas montanhas do continente), e é considerada uma das principais regiões produtoras de vinho da América do Sul, com um enoturismo muito forte e que cresce a cada dia.

MENDOZAVINHO TORRONTES E UMA LEGÍTIMA EMPANADA: QUEM RESISTE?

Por lá, as atividades ofertadas aos turistas vão além de uma visita a caves e degustação de vinhos. As vinícolas apresentam ao viajante novas experiências que incluem desde piqueniques acompanhados pelas famosas empanadas, almoços e jantares harmonizados com carnes saborosas e em meio aos vinhedos, passeios de bicicleta e a cavalo e até tratamentos em spa. O objetivo é simplesmente admirar os vinhedos, a paisagem rural, o silêncio, os aromas e as luzes deste pequeno paraíso vinícola. Entre as sugestões para uma visita estão: Bodegas Norton, Sin Fin, Trapiche, Vistandes, Gimenez Riili, Salentein e Ruca Malén.

Bodegas_ID000014_004BODEGA SALENTEIN, NO VALE DO UCO: MISTURA DE TRADIÇÃO E INOVAÇÃO Destaque para as 5 mil barricas armazenadas em uma adega subterrânea circular, cujo chão de pedras tem o desenho de uma rosa dos ventos quando visto do andar superior. Por lá acontecem concertos e musicais.

As vinícolas situadas em Luján de Cuyo e Maipú estão bem próximas da cidade de Mendoza, e podem ser visitadas de táxi, indo e voltando no mesmo dia. O Bus Vitivinícola também é uma opção para conhecer os empreendimentos da região. O turista compra um tíquete e pode percorrer as bodegas de Luján. Há duas formas de passeio: meio dia e dia inteiro. Já para visitar as bodegas do Vale de Uco, o melhor é alugar um carro para passar o dia por lá.

Para tudo! Acabam de ser eleitos os melhores espumantes brasileiros

São mais de 1.200 cantinas em toda a província, concentradas em três regiões: Luján de Cuyo (a 20km da cidade de Mendoza), Maipú (15km) e Valle de Uco (80km e onde se concentram também investimentos estrangeiros). Juntas elas produzem quase 1 bilhão de litros de vinho por ano. Entre as tintas, a Malbec é a uva mais característica da província. Entre as brancas, a Torrontes.

Uma das coisas mais fascinantes em Mendoza é o sistema de irrigação das vinhas. A técnica, adotada pelo povo Inca, primeiros habitantes da região, aproveita a água do derretimento da neve. A água do degelo é canalizada para todas as direções e abastece também a área urbana.

MENDOZA RUCABODEGA RUCA MALEN: O RESTAURANTE AO AR LIVRE É TUDO DE BOM
Aqui acontecem os almoços harmonizados. Um sommelier ensina ao visitante as técnicas de harmonização

O período entre outubro e abril é considerada a melhor época para visitar Mendoza – desde a temporada de plantio até a colheita. A primavera (outubro e novembro) e o outono (março e abril) são quentes, e ao mesmo tempo, frescos, cheios de cores, com temperaturas em torno de 22ºC. Neste período, as atividades nas vinícolas estão a pleno vapor – e aventuras ao ar livre encontram-se em temporada de pico. A época é também ideal por contrastar com o gelado inverno do Hemisfério Norte.

Bodegas_ID000012_001_0BODEGA NORTON: PROGRAMAS VARIADOS PARA CONHECER A PROPRIEDADE
Além da visita às instalações e degustação, acontecem aulas de culinária e de pintura, entre outras atividades.

la vidAS REFEIÇÕES PODEM SER FEITAS NO ENCANTADOR RESTAURANTE LA VID

A Cordilheira dos Andes é a tela de fundo de Mendoza. Por lá há também muitas outras atividades para se fazer, além de visitar vinícolas e beber vinhos. A cidade é destino para quem busca aventura: mountain bike e caminhadas, esqui, trekking, rafting, montanhismo e parapente são algumas das tantas alternativas disponíveis nessas montanhas.

#FicaDica
* A Gol Linhas aéreas possui um voo direto entre São Paulo e Mendoza às quartas-feiras e sábados.
* A empresa Turismo Prima Terra é especializada em turismo de aventura e em roteiros de enogastronomia. Saiba mais: www.turismoprimaterra.com

Compartilhar
Andréia Debon

Andréia Debon

Jornalista e sommelier internacional, Andréia Debon é editora da revista Bon Vivant, publicação sobre vinhos e outras bebidas, turismo, gastronomia e tudo o que envolve os prazeres em torno da mesa. Participa de degustações e concursos de vinhos no Brasil e no exterior. À frente da publicação, viaja para países produtores de vinhos para conhecer novos produtos e investimentos em enoturismo.

1 Comentário
  1. Tens razão Andreia, Mendoza é um dos passeios maravilhosos da Argentina e principalmente p quem gosta de vinho e neve. Outro lugar lindíssimo de se visitar é Cordoba, a serra cordobeza é um passeio inesquecível. Adorei tua reportagem, um abraço

Comentar

Seu endereço de email não será publicado

Utilize as tags HTML : <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Facebook

Instagram
  • Meu pai, meu norte, minha serenidade, minha calmaria, meu aconchego, meu alicerce, minha certeza, minha paz, minha alma. Meu baba, minha estrutura, minha vida. ❤️
  • À sombra dos Trompetes dos Anjos. #angelstrumpet #gettygarden #gettymuseum
  • Sob a luz do entardecer no Píer de Santa Monica, a confiança de que está tudo em seu devido lugar. ✨ #sunshine #vibration #california #bepositive
  • Foco, força, fé e meus dois anjos da guarda. #baba #mami #bepositive
  • No ventre de uma mãe, havia dois bebês. 
Um perguntou ao outro: “Você acredita em vida após o parto?" O outro respondeu: “É claro! Tem que haver algo após o parto. Talvez nós estejamos aqui para nos preparar para o que virá mais tarde. “Bobagem", disse o primeiro. “Que tipo de vida seria esta?". O segundo disse: “Eu não sei, mas haverá mais luz do que aqui. Talvez nós poderemos andar com as nossas próprias pernas e comer com nossas bocas. Talvez teremos outros sentidos que não podemos entender agora." O primeiro retrucou: “Isto é um absurdo. O cordão umbilical nos fornece nutrição e tudo o mais de que precisamos. O cordão umbilical é muito curto. A vida após o parto está fora de cogitação." O segundo insistiu: “Bem, eu acho que há alguma coisa e talvez seja diferente do que é aqui. Talvez a gente não vá mais precisar deste tubo físico". O primeiro contestou: “Bobagem! E além disso, se há realmente vida após o parto, então, por que ninguém jamais voltou de lá?". “Bem, eu não sei", disse o segundo, “mas certamente vamos encontrar a Mamãe e ela vai cuidar de nós." O primeiro respondeu: “Mamãe? Você realmente acredita em Mamãe? Isto é ridículo. Se a Mamãe existe, então, onde ela está agora?" O segundo disse: “Ela está ao nosso redor. Estamos cercados por ela. Nós somos dela. É nela que vivemos. Sem ela este mundo não seria e não poderia existir." Disse o primeiro: “Bem, eu não posso vê-la. Então, é lógico que ela não existe." Ao que o segundo respondeu: “Às vezes, quando você está em silêncio, se você se concentrar e realmente ouvir, poderá perceber a presença dela e ouvir sua voz amorosa".
✨✨✨
Esta foi a forma com a qual um escritor húngaro explicou a existência de Deus. #amordemae #mamieeu
  • Às vezes, @chico_sperotto consegue me pegar no flagra. #meditandonarede 🙌🏻