O sinal verde para descer do salto

Nunca fui tão feliz assistindo a uma temporada de alta-costura. Me refiro mais precisamente aos desfiles de Chanel e Dior. O que Karl Lagerfeld e Raf Simons fizeram pelo conforto das mulheres desta geração é algo que talvez nem eles tenham noção.

Olha!

desfile_alta_costura_primavera_verano_2014_chanel_446047686_428xTÊNIS NA PASSARELA DA CHANEL!

dior-haute-coutureTÊNIS NA PASSARELA DA DIOR!
Na verdade, um tipo de sapatênis sem cadarço e com bordados

Não é mais novidade que o tênis foi incorporado ao look urbano. Mas daí aparecer na temporada de alta-costura não pensei que veria tão cedo. Gosto dessas provocações que a moda promove – e esta é um banquete para uma análise mais profunda sobre o significado desses acessórios esportivos em uma semana de alta-costura de Paris.

Olha!

desfile_alta_costura_primavera_verano_2014_chanel_514962867_428xPRETINHO BÁSICO
Modelo tradicional de tênis de corrida com cadarço e sola pesada

Lembro de um texto escrito pela crítica de moda Cathy Horyn, no New York Times, há cerca de dois ou três anos. Disse ela:
– A alta-costura, ou aquilo que sobrou dela, é um frágil sistema alheio a todos os gostos e hábitos modernos, povoado por criadores ancorados no passado.

Cathy Horyn considerava que o brilhantismo dos vestidos reinava acima da funcionalidade e que esses modelos, tão próximos a obras de arte, distanciavam criadores e trajes dos tempos atuais, da vida da mulher atual.
– A maioria das mulheres não presta atenção na alta-costura e a questão não é o dinheiro, já que as roupas de alta-costura sempre foram extremamente caras – escreveu Cathy. – O problema maior é que as grifes não oferecem ao público um motivo real de desejo para que eles as consumam.

Eu não usaria tênis com vestido de alta-costura. Não tenho porte de modelo para isso e tampouco vislumbro subir numa passarela. Além dessa tentativa de proximidade com a mulher real, o que eu também entendo nessa dupla iniciativa desses dois gênios da moda é um início de sinal verde para livrar as mulheres um pouco do compromisso de “ter que” usar salto com roupa de festa.

woman-question19QUEM DISSE QUE A GENTE PRECISA DISSO?

Cansei de ver mulheres muito elegantes em festas muito elegantes usando sapatilha com saia longa ou um saltinho baixinho – e estavam muito mais chiques e sofisticadas do que muitas mulheres que se empoleiram em cima de saltos e passam o tempo inteiro caminhando feito uma Valdirene, concorda, Tatá?

valdirene-tata-werneck-ignacio-620x0-1SIM, MARI!

É claro que é preciso ter personalidade, porte, elegância e, sobretudo, segurança para levar o estilo. Mas o que eu quero dizer é que não é feio, não é proibido – e agora ainda ganhou a chancela desses dois mestres da moda.

Tem mais alguns confetes e serpentinas que quero jogar em cima do meu ídolo máximo, Karl Lagerfeld, embora ele seja uma pessoa de poucos sorrisos, já conversamos sobre isso.

apontando_para_baixo_01AQUI, Ó!

Quero agradecer a outra aparição na passarela da Chanel.
Olha!

desfile_alta_costura_primavera_verano_2014_chanel_187696678_428xELA, A POCHETE!

Não existe nada mais prático do que uma pochete. Eu amo pochete e nunca deixei de usar pochete e agradeço a Karl Lagerfeld por lembrar que este acessório existe e tirá-lo do ostracismo co muita beleza.

Agora, que fique claro: não estou com isso defendendo o uso de pochete para homens.

27 panic460TUDO TEM LIMITE

Compartilhar
Mari Kalil

Mari Kalil

Sou escritora, jornalista, colunista da Band TV e Band News FM e autora dos livros "Peregrina de araque", "Vida peregrina" e "Tudo tem uma primeira vez". Sou gaúcha, nasci em Porto Alegre, vivo em Porto Alegre, mas com os olhos voltados para o mundo. Já morei em São Paulo, no Rio de Janeiro e em Barcelona. Já fui repórter, editora, colunista. Trabalhei nos jornais Zero Hora, O Estado de S.Paulo e Jornal do Brasil; nas revistas Época e IstoÉ e fui correspondente da BBC na Espanha, onde cursei pós-graduação em roteiro, edição e direção de cinema na Escuela Superior de Imagen y Diseño de Barcelona. O blog Mari Kalil Por Aí é direcionado a todas as mulheres que, como eu, querem descomplicar a vida e ficar por dentro de tudo aquilo que possa trazer bem-estar, felicidade e paz interior. É para se divertir, para entender de moda, de beleza, para conhecer lugares, deliciar-se com boa gastronomia, mas, acima de tudo, para valorizar as pequenas grandes coisas que estão disponíveis ao redor: as coisas simples e boas.

Sem comentários ainda.
  1. Vou torcer para que não pegue a moda da pochete,rsrsrs!Na minha opinião, um acessório que em nada acrescenta para a elegância, tanto para homens como para mulheres.

  2. Simplesmente lindo Mariana. Concordo que tudo depende de colocar estilo e na ocasião.
    Que ótima esta evolução, ao menos eu penso que é uma evolução.
    E também adoro pochete, e não sou contra que os homens também usem este conforto.
    A Babado Forte, aí de POA, tinha umas pochetes bem bacanas. Ainda existe?
    Bjs e ótimo dia.

  3. Acho que nunca vou entender os estilistas e suas modelos com cabelos e maquiagens bizarras. Coisas que a gente nunca usaria no dia a dia. E Acho que nem em ocasiões especiais.

Comentar

Seu endereço de email não será publicado

Utilize as tags HTML : <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Facebook

InstagramInstagram did not return a 200.