A sopa de ervilha da Lulu

Foi a última vez. Eu juro para mim e para quem quiser servir de testemunha que foi a última vez que comi um Pampa Burger de madrugada.

mulher-vomitandoESTOU MAL ATÉ AGORA

Não sei porque insisto nessa maldita ideia de parar no Pampa Burger cada vez que saio da casa da minha amiga Alemoa. Se não comesse nada na casa da Alemoa, ainda vá lá. Mas nunca é o caso. Sempre fazemos churrasco. E eu sempre dou um jeito de sentir fome na volta pra casa de madrugada. E sempre peço para o Chico parar no Pampa Burger.

11ELE SEMPRE ACHA UMA BOA IDEIA

bento1EU NUNCA SOU DOS INCLUÍDOS

Já comi vários sabores: Anita, Pampa Burger, Maragato, Borghetinho, Garibaldi e La Plata. O fatídico da noite do último sábado foi o La Plata.

Olha!

eeLA PLATA ÀS 4H DA MADRUGADA

Na hora, estava divino. Na manhã de domingo, acordei com uma pedra no estômago. Sorte que ainda pedi o petiço (que é a versão menor). Chico, esganado, comeu o a versão bagual do Gringo. Passou o domingo resmungando e tomou um galão de água de 5 litros.

bento1CHICO ESTAVA UM TRASTE

Tudo o que o pobre do Chico queria era uma sopa de ervilha. Uma sopinha qualquer que fosse. Ofereci uma cumbuca de lentilha e deu para o gasto. Foi então que lembrei que minha doce irmã estava me devendo a receita de sua sopa de ervilha. Explico: demos de presente para a Lulu e para o Magro uma embalagem de ervilha que o Chico produz. Com a condição de que fizessem uma linda sopa e nos mandassem a receita.

Olha!

sopa na panela valeOOOOOHHHHHH!!!
Fervilhando na panela de ferro!

Lulu mandou a receita ontem por Whats App e trocentas mil fotos dos preparativos. Como hoje é segunda-feira e a vida não está fácil, tenho 32 páginas da revista Donna em branco me encarando, selecionei algumas, mas não vão comprometer a aplicabilidade da receita.

Olha!

sopa ingredientesALGUNS INGREDIENTES UTILIZADOS

Escreveu a Lulu: “Picar cebola, alho, gengibre, cenoura e aipo. Refogar com azeite de oliva, sal, pimenta do reino, shoyo e um pouquinho de azeite de dendê. Misturar a ervilha lavada e colocar um litro de água. Cozinhas por 45 minutos. Baixar o fogo depois de ferver. Se evaporar muita água, coloca mais um pouco”.

E o resultado!

sopa na cumbucaOOOOOOOHHHHHH!!!
Tudo é uma questão de boa apresentação, vai dizer?

Não sei o que são aqueles verdinhos ali em cima, mas acredito que seja salsinha picada. É isso, Lulu? E as torradinhas foram feitas com pão sírio integral no forno pra ficar croc croc. E agora com licença que vou tomar um Omeprazol.

mulher-vomitandoNÃO CONSIGO ESQUECER DAQUELE LA PLATA

Compartilhar
Mari Kalil

Mari Kalil

Sou escritora, jornalista, colunista da Band TV e Band News FM e autora dos livros "Peregrina de araque", "Vida peregrina" e "Tudo tem uma primeira vez". Sou gaúcha, nasci em Porto Alegre, vivo em Porto Alegre, mas com os olhos voltados para o mundo. Já morei em São Paulo, no Rio de Janeiro e em Barcelona. Já fui repórter, editora, colunista. Trabalhei nos jornais Zero Hora, O Estado de S.Paulo e Jornal do Brasil; nas revistas Época e IstoÉ e fui correspondente da BBC na Espanha, onde cursei pós-graduação em roteiro, edição e direção de cinema na Escuela Superior de Imagen y Diseño de Barcelona. O blog Mari Kalil Por Aí é direcionado a todas as mulheres que, como eu, querem descomplicar a vida e ficar por dentro de tudo aquilo que possa trazer bem-estar, felicidade e paz interior. É para se divertir, para entender de moda, de beleza, para conhecer lugares, deliciar-se com boa gastronomia, mas, acima de tudo, para valorizar as pequenas grandes coisas que estão disponíveis ao redor: as coisas simples e boas.

Sem comentários ainda.
  1. Mari, adorei a receita!! Fiz ontem à noite, com pequenas adequações, ficou ótimo! Maridão agradece hehehe E agora há pouco falei com minha mãe, super orgulhosa, conforme diálogo que segue:

    – Eu: Bah, mãe, tem que ver a sopa de ervilhas que fiz ontem. De lamber os beiços.
    – Mãe: sério, minha filha? De onde pegaste a receita?
    – Eu: do blog da Mari Kalil, aquela jornalista da Donna.
    – Mãe: Mariana Kalil??
    – Eu: sim, por que?
    – Mãe: acho que ela já morou aqui no nosso prédio quando pequena, ela tinha cabelo cacheado, loirinha, uma graça. O pai dela é o Dr. Kalil??
    – Eu: Bahhhh mãe, será que a Mari já foi minha vizinha e eu não sabia??? Olha, ela não é loira e não sei se o pai dela é o Dr. Kalil. Mas vou perguntar!!!

    Mari, tu já morou na Rua Artur Rocha quando era criança?? 😀

    bjs

    1. Hahahahahahahaha!! Olha, eu nunca fui loirinha nem cacheada, mas minha irmã, sim. Moramos quando pequenas na 24 de Outubro. E meu pai é o Dr.Kalil. Dr. Renato Kalil. E agora estou morrendo de curiosidade!! E amei saber da sopa! Bjo. MK

Comentar

Seu endereço de email não será publicado

Utilize as tags HTML : <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Facebook

InstagramInstagram did not return a 200.