Viajar para entender quem somos e o que estamos fazendo com nossa vida

mk_017-vale

Compartilhar
Mari Kalil

Mari Kalil

Jornalista e escritora, Mariana Kalil é diretora de conteúdo do site MK e colunista do programa Band Mulher e da rádio Band News FM. É também autora dos livros "Peregrina de Araque (2011), "Vida Peregrina (2013) e "Tudo tem uma Primeira Vez" (2015), todos publicados pela editora Dublinense. Trabalhou das redações das revistas Época e IstoÉ Gente, dos jornais Zero Hora, O Estado de S.Paulo e Jornal do Brasil e foi correspondente da BBC na Espanha, onde cursou pós-graduação em roteiro, edição e direção de cinema na Escuela Superior de Imagen y Diseño de Barcelona.

7 Comentários
  1. Oi Mari ! Nao cocordo . A acho que onde estamos, onde é a nossa casa ( que pode ser em qquer lugar do mundo) dizem o q somos e nosso papel neste mundo .Me parece que que essa necessidade de viajar acontece para aqueles que querem fugir do que sao de verdade . Tipo fugir da realidade mesmo ! . Isso faz com q a pessoa nao viva plenamente . Viva apenas nas férias , nao vive o momento na intensidade verdadeira .

  2. Quer transcender e ter experiências de auto conhecimento???
    Jogue seus melhores CDs ou umpen drive com as músicas da sua viada na mala, um jeans, um keds e algumas camisetas – leve casaco porque pode esfriar de repente – voe até Salt Lake City, ouça e se arrepie com o coro mórmom no domingo de manhã (reze para ter as músicas populares americanas ou algumas árias clássicas lindas no repertório do dia), veja as tulipas no lindo jardim do Mormon Square . Alugue um carro e suba até Jackson Hole, uma gracinha de cidadezinha – visite o Grand Teton (lindo), Yellostone (diferente e lindo), e suba até Montana – nas estradas pacatas e lindas de lá, onde não há quase trânsito (mas é primeiro mundo) você vai se encontrar com Deus…. Visite o Glacier National Park, percorra e deslumbre-se com a “Going to the sun Road” (o nome te diz algo??? uma estrada chamada assim só traz deslumbramento)
    Faça isso no finzinho de agosto ou começo de setembro,quando o tempo é lindo e não há muita gente, somente com teu amor ao lado. Curta e se emocione com a música na estrada, relembre coisas ao embalo dos seus hits favoritos, curta as paisagens, reflita, medite, converse, e viva com intensidade essa jornada .
    TE juro: você vai voltar tinindo!

    SE der tempo…. cruze para o lado canadense (o Glacier Park em Montana entra Canada adentro) e rume para Banff, Lake Louise e Jasper, seguindo toda a vida a ICefields Parkway – uma das estradas mais lindas do mundo.
    Passe uma noite no Fairmont Chateau Lake Louise e passeie pelo lago. Suba na Banff gôndola, pegue o skytram em Jasper e não deixe de ir até o Lake Maligne (não desanine com o trechinho sem asfalto da estrada – juro que vale a pena) . Na Icefields PRKWAY, entre e siga em todas as plaquinhas indicando atrações – uma mais linda que a outra….
    Na volta, me conta se você não se encontrou e se descobriu. Essa é uma viagem “linda e filosofal”, pois não é na muvuca das grandes cidades e as estradas que vais percorrer e os parques que vais ver vão te levar aos céus!
    Palavra de especialista …que ama uma estrada bonita e solitária!
    Vais andar muitas e muitas milhas – requer tempo. Mas é um investimento em você!
    Na volta, terás assunto e lembranças para uma coletânea inteira!

  3. Viajo pra ter outros pontos de vista, conhecer maneiras diferentes de ver a vida, conhecer paisagens diferentes.
    Adoro planejar, ler tudo o que encontro sobre o lugar, opiniões de quem já foi.
    E não precisa ser um lugar longe ou exótico. É ótimo descobrir uma cidadezinha próxima que tem uma paisagem diferente e renovadora.
    E também adoro voltar pra casa cheia de energia nova e alegria por estar novamente no lugar em que escolhi viver.
    Boas viagens!

Comentar

Seu endereço de email não será publicado

Utilize as tags HTML : <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Facebook

Instagram
  • Para estar junto não é preciso estar perto, e sim do lado de dentro. Estaremos te esperando, Chiquinho! Repost @chico_sperotto ♥️🐶🌞
  • • KARL LAGERFELD
10.09.1933 - 19.02.2019 🖤
•”Pense rosa. Mas não use".
•”Calça de moletom é sinal de fracasso. Você perdeu o controle sobre sua própria vida e comprou um moletom".
•”Eu acho tatuagem uma coisa horrorosa. É como viver o tempo todo em um vestido Pucci".
•”Meu maior luxo é não precisar me justificar para nenhuma pessoa.”
•”Gosto que tudo seja lavável. Eu mesmo, inclusive.”
•”Personalidade começa onde a comparação termina.”
•”As melhores coisas que fiz na minha vida, as vi nos meus sonhos. É por isso que tenho um caderno de rascunhos na minha cama.”
•”O politicamente correto, a preservação. Eu acho tudo isso extremamente chato.”
•”Coco Chanel jamais teria feito o que eu fiz. Ela teria odiado.”
•”Sou uma pessoa da moda e a moda não é somente sobre roupas. É sobre todos os tipos de mudança.”
•”Eu amo estar de passagem. Nasci em um porto, em Hamburgo. Então minha mãe disse: ‘É a porta do mundo, mas não é mais do que a porta. Portanto, já pra fora!’”.
#ripkarllagerfeld
  • - Dinda, entra no mar comigo?
- A dinda não gosta de mar gelado.
- Eu queria mergulhar com a dinda.
- Então a dinda vai te dar a maior prova de amor do mundo. E tu vai lembrar pra sempre, promete?
- Prometo, dinda.
E assim foi, e a lembrança eterna será de nós dois. #joaobenicio #amordadinda
  • Ensalada de Durazno: pêssego queimado, folhas verdes, queijo de cabra, pistache, cebola roxa e um molho vinagrete indescritível. Autor: @francismallmann @restaurantegarzon 👌🏻♥️🇺🇾 Detalhes no destaque do Stories
  • Leva um tempo até a gente perceber que por trás da figura de mãe existe também uma mulher como nós. Com gostos, desejos, anseios, vontades, expectativas, decepções. Não dizem que são nas viagens que a gente conhece profundamente a essência dos amores e amigos? Pois viagens também contribuem para aproximar mães e filhas no papel de duas mulheres adultas e companheiras. Em nossas viagens, mãe e eu convivemos com nossas imperfeições e fizemos mútuas descobertas – das profundas às mais comezinhas. Ela bebe pouca água; eu vivo com uma garrafa na mão. Ela critica a minha garrafa; eu critico a falta de água no organismo dela. Ela já planeja a Páscoa do ano que vem; eu ainda nem cheguei no próximo Natal. Ela não compreende a minha falta de planos; eu não entendo a ansiedade dela. Ela pensa em voz alta; eu reflito em silêncio. Ela diz pra eu falar alguma coisa; eu suplico que ela cale a boca por cinco minutos. Ela prefere o sol do meio-dia; eu prefiro o ar-condicionado. Ela diz que estou branca feito um bicho da goiaba; eu respondo que ela está laranja feito um nacho de Doritos. Agora estamos de novo aqui, juntas, em viagem, sentadas na grama da praça de José Ignacio. Que bom, né, mãe? Que bom que a vida nos concedeu este prazo para descobrir ainda a tempo o privilégio de passearmos juntas por aí e explorar como adultas esta delicada amizade — e o que existe de melhor em cada uma de nós. ♥️ #amordemãe #amordefilha #viajecomsuamãe
  • Né?! 👌🏻